Cotidiano

Secretário flagra dupla jogando lixo em rua e população admite contribuir com sujeira

Sem coleta adequado, lixo é acumulado por moradores

Midiamax Publicado em 18/03/2016, às 18h23

None
_mg_9398.jpg

Sem coleta adequado, lixo é acumulado por moradores

Entulhos estão se tornando cada vez mais comum nas ruas de Campo Grande. Em alguns bairros, eles parecem fazer parte do cotidiano de moradores. Nesta semana o chefe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Ivandro Fonseca, flagrou uma dupla descarregando lixo em uma avenida.

A ação foi filmada e o vídeo publicado no Facebook. A população, por sua vez, admite que os próprios moradores contribuem para o aumento da sujeira acumulada em diferentes pontos da cidade.

"A Gestão Alcides Bernal [prefeito de Campo Grande] tem trabalhado muito para erradicar a epidemia de dengue em nosso município. Cheguei a uma conclusão que existe uma quadrilha que esta sujando as vias públicas onde estamos fazendo o mutirão de limpeza", diz parte da mensagem publicada no perfil pessoal de Fonseca, na rede social.

O flagrante foi registrado na Avenida Engenheiro Amélio Carvalho Baís, na região oeste de Campo Grande. Na manhã desta sexta-feira (17), funcionários da Prefeitura estavam limpando o local. A equipe de reportagem do Jornal Midiamax percorreu às ruas da Capital e constatou vários entulhos jogados pela cidade.

Equipe da Prefeitura estava limpando via onde secretário flagrou lixo sendo descartado - Cleber Gellio/Midiamax

Na Rua Machado de Assis, na Vila Santo Amaro, também na região oeste, o problema persiste há pelo menos sete anos, de acordo com relatos de moradores. Em um entulho na rua havia sofá, telhas de eternit, cadeira, colchões, pneus, geladeira e muitas roupas. A pensionista identificada apenas como Gil, de 66 anos, destaca que o acúmulo de lixo está relacionado a um grupo de moradores de rua que vive no local.

Moradores de rua estão no local há mais de sete anos - Cleber Gellio/Midiamax

“Eles não fazem mal a ninguém. O único problema é o lixo que junta água. Eles vão ganhando as coisas que nem usam e deixam tudo por aqui e isso é perigoso. Nossa maior preocupação é com o mosquito da dengue. Já avisamos a Prefeitura, mas eles não fazem nada a respeito. Isso é falta de consideração com a população”, declara.

O morador de rua, Guilherme Gonçalves Filho, de 46 anos, se defende. “Isso aqui não tem nada a ver com a gente. É um pessoal que passa de noite com caminhonete e joga aqui. A gente não pode fazer nada. Não vou criar confusão com ninguém”, justifica.

Morador de rua defende grupo e diz que eles não são responsáveis por jogar lixo na rua - Cleber Gellio/Midiamax

A secretária Shirlei Murcílio, de 45 anos, afirma ter feito inúmeras reclamações na Prefeitura, no entanto, todas sem resposta. “Já liguei várias vezes porque tem muita coisa com água, mas dizem que não podem fazer nada o que é muito estranho. Se o lixo está dentro de casa multam o proprietário, mas se está na rua ninguém faz nada?”, questiona.

Shirlei conta ainda que até pouco tempo a quantidade de lixo era maior. “Nos reunimos e pagamos para que os mendigos juntassem tudo e jogasse. Eles limparam, mas uma semana depois estava tudo sujo de novo. Mas isso também é culpa da população. Eles vão doando tudo o que não usam e vai ficando tudo ali. O ser humano é muito porco”, dispara.

Entulho já teve mais lixo, afirmam moradores da região - Cleber Gellio/Midiamax

Ivan Grisste, de 51 anos, também pontua o descarte de materiais não utilizados. “O problema é que se as pessoas não querem mais alguma coisa, ao invés de jogar no lugar certo, vão deixando em qualquer lugar”, observa.

Uma agente de combate a endemia, que fazia o trabalho na região oeste, informou à reportagem que outras áreas são utilizadas como depósito de lixo, uma delas, é terreno baldio na Rua Ministro José Linhares. Ela diz que nesses casos, anota as informações e informa à Sesau sobre o problema.

Lixos podem contribuir com proliferação de mosquito da dengue - Cleber Gellio/Midiamax

Nesta manhã, a Avenida Florestal parecia estar 'decorada' com entulhos de lixo. Em conversa com moradores, eles explicaram a equipe de reportagem que estavam juntando tudo porque uma equipe da Prefeitura informou que vai recolher o lixo do local. “A gente aproveita para jogar tudo porque demoram muito para passar outra vez”, explica a aposentada Paulina Figueiredo, de 71 anos.

“A limpeza não é mais como antes. Ficam meses sem limpar. Estamos juntando porque a Prefeitura vai passar e recolher. Mas acho que a limpeza é muito superficial. Deveriam aproveitar para fazer outras coisas que precisam”, destaca a cozinheira Elza Aparecida dos Santos, de 42 anos.

Na Avenida Florestal moradores reúnem lixo para que Prefeitura recolha - Cleber Gellio/Midiamax

Flagrante –

Conforme a publicação do secretário, o flagrante feito na Avenida Engenheiro Amélio Carvalho Baís foi denunciado na Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e de Proteção ao Turista) e deve ser investigado pelo titular Wilton Vilas Boas de Paula.

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax encaminhou email para a assessoria de comunicação da Prefeitura para saber informações a respeito da retirada de lixo e entulhos, no entanto, até o fechamento deste texto, não obteve resposta. 

Jornal Midiamax