Cotidiano

Prefeitura culpa empreiteira que fez obra em 2004 por cratera no Nova Lima

Cratera de 5 metros formou-se em poucos minutos

Wendy Tonhati Publicado em 24/10/2016, às 13h47

None
065f7207-ed77-4358-a534-172fa3254c6b.jpg

Cratera de 5 metros formou-se em poucos minutos

A Prefeitura de Campo Grande responsabilizou a empreiteira que realizou obras em 2004, no Bairro Nova Lima, pela enorme cratera que se formou durante a chuva do último domingo (23). Em nota divulgada no site institucional, o Executivo afirma:

Moradores da principal rua de um dos bairros mais populosos e antigos de Campo Grande sofrem as consequências de uma obra realizada em 2004 pela antiga Gerpav Engenharia LTDA (atual Proteco) e que foi feita com material insatisfatório para suportar fortes temporais”. 

Na tarde do domingo, um temporal provocou a abertura de um buraco com mais de cinco metros de largura e 1,2 metros de profundidade, na principal via do Bairro, a Rua Jerônimo de Albuquerque. O cruzamento com a Rua Inácio de Loiola está interditado na manhã desta segunda-feira (24), causando transtorno a moradores e aos motoristas que precisam passar pela via, que corta o bairro e termina perto da Avenida Consul Assaf Trad, usada para chegar ao Centro. 

Prefeitura culpa empreiteira que fez obra em 2004 por cratera no Nova LimaA Rua Jerônimo de Albuquerque tem sido vítima da chuva com o asfalto que se esfarela e buracos que brotam. 
No dia 18 de fevereiro, uma chuva de aproximadamente 40 minutos alagou a via, arrancou o asfalto e em alguns pontos abriu crateras próximos ao meio-fio. 

Em junho, o Jornal Midiamax esteve no local e além da falta de asfalto, os moradores sofriam com um buraco. 

Conforme a Prefeitura, o prefeito Alcides Bernal (PP) visitou nesta segunda-feira (24) diversos locais danificados pela chuva. No Nova Lima, Bernal afirmou:

“É prioridade do nosso Governo fazer um trabalho de recuperação asfáltica de forma eficiente, mas infelizmente a população está sofrendo as consequências de um projeto que foi elaborado com má qualidade e com falta de responsabilidade. É inaceitável que um asfalto não suporte uma chuva, que o projeto não tenha um plano de drenagem adequado para garantir a segurança das pessoas. Em fevereiro deste ano estivemos aqui e verificamos que o material é muito ruim, o asfalto é fino e de péssima qualidade e foi feito de forma irresponsável pelas gestões passadas. Agora, já demos ordem de serviço para recuperar a via e trocar o sistema de drenagem para suportar a pressão da água pois a população não pode sofrer com mais este problema”, disse o prefeito, conforme divulgado em nota. 

 A Proteco Construções tem como sócios, João Krampe Amorim e Elza Araújo. A empresa, bem como seus responsáveis, estão envolvidos em pelo menos duas investigações: Lama Asfáltica e Coffee Break. 

Jornal Midiamax