Cotidiano

Movimentos sem-terra ocupam sede do Incra pedindo por reforma agrária

Aproximadamente 200 pessoas estão no local

Wendy Tonhati Publicado em 13/09/2016, às 11h29

None
f54519f8-3074-47de-92bb-a59aa7d6d9aa.jpg

Aproximadamente 200 pessoas estão no local

Trabalhadores rurais sem-terra ocupam a sede do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) na manhã desta terça-feira (13), na Rua 25 de Dezembro, em Campo Grande. O ato é um protesto por reforma agrária e os representantes de 11 movimentos sociais solicitam uma audiência com o superintendente do Incra Humberto Cesar Mota Maciel.

De acordo com Ademilson Trindade, um dos representantes da manifestação, há aproximadamente 200 pessoas no local e a expectativa é de que até 800 pessoas participem do ato. Trabalhadores sem-terra de todo o Estado devem vir à Capital e não há previsão de bloqueio de rodovias. A audiência foi marcada para às 9 horas e não há previsão de término. 

Movimentos sem-terra ocupam sede do Incra pedindo por reforma agráriaEntre as reivindicações estão a retomada de ações de titulação dos lotes da reforma agrária, novas modalidades de crédito, individualização dos lotes de reforma agrária dos assentamentos implantados pelo Programa Terra Vida, vistoria imediata de áreas indicadas pelos movimentos, cadastramento de novas famílias e fornecimento de cestas de alimentos às famílias acampadas. 

Conforme os movimentos sociais, nos últimos cinco anos o Incra instalou apenas o Assentamento Nazareth, que ainda não possui a infraestrutura básica.

No Estado há mais de 21.000 famílias acampadas na luta pela terra, sendo que muitas delas se encontram cadastradas há mais de dez anos e muitas outras ainda não foram cadastradas. 

Jornal Midiamax