Cotidiano

Miranda diz que não paga o menor piso para professores

Secretário alega salário de R$ 2.999,88

Midiamax Publicado em 20/09/2016, às 12h33

None
1474251466ranking_0.jpg

Secretário alega salário de R$ 2.999,88

Anderson Benites Carneiro, secretário de Planejamento de Miranda, município distante 303 quilômetros de Campo Grande, contesta a informação divulgada pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação em Mato Grosso do Sul) de que a cidade oferece o pior salário ao magistério. Segundo ele, a remuneração paga para 40 horas semanais é de R$ 2.999,88, acrescidos de 15% de regência.

De acordo com oranking salarial do magistério nas escolas públicas (estadual e municipal) do Estado, divulgados nessa segunda-feira (19) pela Fetems, Miranda oferece salário de R$ 1.697,48, para 40 horas trabalhadas. Na manhã desta terça-feira (20) a informação foi retificada pelo secretário de Planejamento. 

Conforme o titular da Secretaria de Planejamento do município, o departamento jurídico da Prefeitura de Miranda vai requerer da Federação a 'correção imediata da informação'. 

No ranking divulgado pela Fetems, Campo Grande, apesar de descumprir a legislação vigente, aparece no topo da lista com salário de R$ 3.394,74, seguida de Corumbá com remuneração de R$ 3.235,14, além de  Fátima do Sul que paga R$ 3.196,76 e da rede estadual de ensino que oferece R$ 3.151,76, para 40 horas trabalhadas.

Jornal Midiamax