Cotidiano

Linha 519: mudança de trajeto atrapalha quem precisa de posto de saúde 24h

Idoso alega que precisará recorrer a táxi para ir ao CRS

Kemila Pellin Publicado em 10/03/2016, às 18h50

None
_mg_1813_0.jpg

Idoso alega que precisará recorrer a táxi para ir ao CRS

A alteração no itinerário da linha 519 (Noroeste/Hecules Maymone) também está dificultando a vida do moradores do bairro Maria Aparecida Pedrossian, que precisam dos serviços de saúde 24 horas. A unidade mais próxima é a do Tiradentes, e o coletivo era a única alternativa para muitos pacientes.

Segundo o aposentado de 76 anos, a mudança de trajeto deixou os moradores do bairro sem opções e quem precisar de um atendimento médico mais detalhado, ou em horários alternativos, terá que arcar com táxis para ir até o CRS (Centro Regional de Saúde) do Tiradentes. “Até tem posto de saúde aqui, mas não é 24 horas e nem tem especialistas. Então quando gente precisa de uma atendimento mais completo, tinha que ir lá”, disse.

O idoso procurou o Jornal Midiamax após ver a reportagem relatando que a mudança de trajeto está submetendo centenas de alunos ao perigo de atravessar a BR-262 para pegar ir para aula, a linha era a única alternativa.

As linhas 518 (Vivendas do Parque/ Shopping CG), 519 (Noroeste – Centro) e 520 (Direto (Noroeste) – Centro) foram reordenadas pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e desde sábado (5) os dois primeiros deixaram de ir até o centro da cidade, encerrando a viagem no Ponto de Integração Hércules Maymone. O 520 agora roda com duas tabelas de itinerários diferentes, mas ambas indo até o centro. A mudança será aplicada por 15 dias em caráter experimental.

De acordo com a Prefeitura de Campo Grande, a mudança é para atender melhor os usuários dos bairros Noroeste, Vivendas do Parque e Jardim Panorama.

Jornal Midiamax