Cotidiano

Lideranças indígenas se reúnem na prefeitura para reivindicar melhorias em comunidades

Asfalto e cascalhamento

Diego Alves Publicado em 01/03/2016, às 23h27

None
img_9696.jpg

Asfalto e cascalhamento

O secretário de Governo Paulo Pedra, o Ouvidor do Município Valmir Moura Fé e o chefe de gabinete do prefeito Alcides Bernal, Odimar Marcon, se reuniram no início da noite desta terça-feira (1) com lideranças indignas para ouvir suas reivindicações e sugestões para melhoria das comunidades indígenas de Campo Grande. Atualmente, Campo Grande possui pelo menos 11 mil indígenas nas comunidades urbanas indígenas.

Segundo o coordenador dos assuntos indígenas da prefeitura de Campo Grande, Adierson Venancio Mota, as principais reivindicações são regularização da moradia indígena, asfalto e cascalhamento das comunidades indígenas da capital.

As lideranças indígenas fizeram uma pauta de reivindicações cobrando ações nas Comunidades Indígenas Marçal de Souza, Santa Monica, Indu-Brasil e Jardim Inapolis, Darcy Ribeiro, Estrela da Manhã, Vila Bordon, Jardim Aeroporto, Água Bonita, Assentamento Água Bonita e também pediram melhorias para a feira indígena.

O chefe de gabinete Odimar Marcon se comprometeu a levar os pedidos as secretarias devidas e tentar agilizar o processo o mais rápido possível para atender a população. “O prefeito Alcides Bernal administra para quem mais precisa. Nossa prioridade e atender a população que carece de atendimento. Por isso que o lema é a pessoa em primeiro lugar. Eu não posso me comprometer que vamos atender tudo isso amanhã, mas tem muitos pedidos feitos aqui que já estamos encaminhando e vamos conseguir atender o mais rápido possível”, explica.

O secretario de Governo Paulo Pedra comenta que na administração do prefeito Alcides Bernal a prioridade e atender as minorias. “Na nossa administração nossa prioridade e a população. Nos estamos aqui para atender a quem precisa. Por isso que a administração do Prefeito Alcides Bernal tem uma coordenadoria de assuntos indígenas, uma coordenadoria LGBT(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais) , além da secretária da Mulher que tem como secretaria uma mulher negra”, explica.

Jornal Midiamax