Cotidiano

Grupo LGBT faz vigília e promove debates contra violência e preconceito

Militante foi espancado por três agressores nesta madrugada

Midiamax Publicado em 17/09/2016, às 21h35

None
movimento_lgbt.png

Militante foi espancado por três agressores nesta madrugada

Movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) de Campo Grande promove na noite deste sábado (17), na Praça do Rádio Clube, na região central da Capital, uma vigília em solidariedade ao militante Davi Masther, que foi espancado na madrugada de hoje.

Um dos organizadores do ato, Henrique Nascimento, de 24 anos, afirma que o objetivo é debater sobre preconceito e violência."É um ato em solidariedade às vítimas da LGBTFobia. É importante discutir essas questões. no último mês foram duas mortes só em Campo Grande. É um absurdo e a gente precisa se movimentar, discutir sobre o aumento da violência, avanço do conservadorismo e do discurso discriminatório", frisa.

A estimativa é de que ao menos 50 pessoas participem do ato que terá início às 20 horas e deve ser encerrado às 23 horas.

Entenda o caso –

Davi foi agredido por três pessoas. A agressão aconteceu próximo do Campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande.

O crime só foi descoberto depois que Davi se atrasou para chegar ao encontro de um amigo, que divulgou a informação no Facebook. 

Segundo as informações, Davi publicou uma mensagem reclamando de preconceito e uma hora depois foi agredido. A vítima ainda se recupera dos ferimentos.

Jornal Midiamax