Cotidiano

Governador diz que intervenção em Aeroporto serve para preservar turismo em Bonito

Empresa alega prejuízo por baixa procura

Evelin Cáceres Publicado em 15/09/2016, às 14h11

None
bonito.jpg

Empresa alega prejuízo por baixa procura

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) justificou a intervenção do governo no Aeroporto de Bonito para que o turismo local não seja prejudicado. Segundo declaração de Reinaldo desta quinta-feira (15), “não cabe ao Estado outra coisa senão intervir”.

O entendimento do governo é de que a concessão deveria realizar os reparos na pista do local. “Até pela segurança jurídica que o Estado tem que ter para tomada de decisão da recuperação da pista e tentar evitar a paralisação dos voos em Bonito que tomamos essa atitude”, afirmou.

 “Estamos exigindo o cumprimento do contrato e fizemos a intervenção por segurança do Estado e para poder proteger a possibilidade da manutenção do aeroporto em operar normalmente”.

Na última terça-feira (13), a Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) decidiu intervir e afastar a empresa Dix Empreendimentos da gestão do aeroporto, por meio de decreto.

O Aeroporto de Bonito, por onde, segundo a direção do aeroporto, desembarcam mensalmente uma média de 2,5 mil turistas, será administrado durante 60 dias pelo Coordenador de Transportes Aéreos da Seinfra, Fabrício Alves Correa. Nesse período, a Dix Empreendimentos deverá apresentar um plano de correição da pista de decolagem.

A empresa alega que desde quando recebeu a concessão do aeroporto, em 2005, a pista de decolagem já tinha rachaduras e problemas, portanto não seria a responsável pelos reparos, avaliados em mais de R$ 3 milhões. As irregularidades já tinham sido discutidas em uma reunião com representantes do governo, em 2007.

Entretanto, o Governo do Estado diz que o contrato da concessão prevê que a responsabilidade pela manutenção das pistas é da concessionária. “Não estamos empurrando responsabilidade para ninguém. Está havendo um desrespeito de uma cláusula contratual por parte da Dix. Caso a empresa feche o aeroporto, o Governo irá assumir o mesmo”, informou a assessoria da Seinfra.

Jornal Midiamax