Cotidiano

Funcionários do Proinc assinam folha, mas não recebem pagamento

Trabalhadores do Parque Jacques da Luz estão com salário atrasado

Midiamax Publicado em 12/12/2016, às 22h25

None
_mg_1405-resized.jpg

Trabalhadores do Parque Jacques da Luz estão com salário atrasado

Funcionários do Proinc (Programa de Inclusão Social) que trabalham no Parque Jacques da Luz, em Campo Grande, não receberam o salário do mês de dezembro. Quem coordena o Parque é a Funesp (Fundação municipal de esporte) e os trabalhadores alegam que a pasta seria responsável pela ausência de pagamento. Isso porque, conforme explicaram, outros funcionários do Proinc que trabalham para pastas como a Seintrha (Secretaria municipal de infraestrutura, transporte e habitação) já receberam.

O pagamento está atrasado desde o 5º dia útil, de acordo com eles, que já assinaram a folha de pagamento. “A gente assinou as folhas aqui no parque e tudo. O pessoal da Seintrha, o pagamento deles saiu no sábado”, declarou uma das funcionárias, que preferiu não ser identificada.

“ A SAS [Secretaria de Assistência Social] já pagou a Seintrha, já pagou a Agetran, tem gente ali que vai até catar manga pra poder comer. O coordenador entrou agora, faz um mês, é o terceiro coordenador esse ano. Quem tem a ver com isso é a gestão da Funesp, porque ele [coordenador] entregou as folhas pra gente, a gente assinou e ele levou pra lá [Funesp]. Eu liguei na SAS hoje de manhã e a mulher me afirmou que tinha ligado na sexta-feira na Funesp, que tinha ligado hoje de novo, e não deram resposta em questão dessa folha”, alegou outra funcionária do Programa, que também preferiu não ser identificada.

Proinc – O Proinc é um programa com financiamento da União, regulamentado pela Prefeitura da Capital em 2013. O objetivo é encaminhar famílias com dificuldades financeiras para o trabalho, mediante uma série de pré-requisitos, como comprovação de desemprego e renda familiar per capita igual ou inferior a meio salário mínimo. Os funcionários realizam funções de limpeza e manutenção em espaços públicos e órgãos municipais.

Em julho, a Funsat (Fundação Social do Trabalho de Campo Grande) investigava a existência de funcionários fantasma inseridos no Programa. As investigações iniciaram após denúncias de beneficiários. Havia, à época, suspeitas de irregularidades no ginásio Guanandizão e no Parque Jacques da Luz. Além da existência de funcionários fantasma, no entanto, a reportagem recebeu denúncias de trabalhadores que não estariam em conformidade com os pré-requisitos do programa.

O jornal Midiamax tentou falar com o coordenador do Parque, sem sucesso. A Prefeitura afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que os funcionários “recebem na quarta-feira”.

Jornal Midiamax