Cotidiano

Falta de vacinas contra gripe preocupa população em Campo Grande

As unidades recebem um estoque limitado que não contemplam todos 

Caroline Carvalho Publicado em 05/05/2016, às 01h57

None
nota-informativa-influenza.jpg

As unidades recebem um estoque limitado que não contemplam todos 

A falta de vacinas suficientes contra a Influenza A (H1N1 e H2N3) e B continuam sendo alvo de reclamações da população. Na tarde desta quarta-feira (4), o Jornal Midiamax visitou diversas Unidades de Saúde da Capital para verificar a situação. As unidades recebem um estoque limitado da vacina e distribuem senhas para os usuários. Se a procura é grande, quem chegar não recebe a dose e tem que voltar pra casa.

Nas unidades maiores, a situação é crítica. A UBS (Unidade Básica de Saúde) Jardim Itamaracá, que fica bairro Jardim Campina Verde, região Norte da Capital, já estava com o estoque esgotado logo no começo da tarde, às 14h20. Segundo uma funcionária do local, foram distribuídas 80 senhas no período da tarde, que, com a grande demanda, logo acabaram.

A dona de casa Ana Cláudia dos Santos levava o filho, de 3 anos, para tomar a dose da vacina, porém não conseguiu chegar a tempo. “Complicado né, porque é uma 'pernadinha' pra eu vir até aqui. Faz tempo que eu venho. Mas não tem vacina agora, vou pra outro posto”.

A operadora de Máquinas Ana Cláudia dos Santos, de 33 anos, afirma que já foi duas vezes no local para vacinar o filho João Gabriel, de 2 anos, mas não teve sorte. “Acabou a senha! Mas a senha podia ser até umas 16h. Uma hora da tarde e já acabou!”, diz indignada. Ela ressalta ainda que só conseguiu acompanhar o filho aquele dia porque estava de licença médica.

No CRS (Centro Regional de Saúde Dr Marcílio de Oliveira Lima), que fica no bairro Moreninha III, região Norte de Campo Grande, a situação não é diferente e vários moradores das regiões próximas que foram até o local ficaram sem a vacina. A professora Marta Cristine, de 40 anos, reclama da situação e diz que é recorrente. “Acho uma pouca vergonha. A gente vem de longe tomar a vacina e já acabou. Vim no sábado, no dia da campanha, 16h e já tinha fechado. Ué, mas não era até as 17h?”.

No último sábado (30), marcado como o dia D de Vacinação contra a Gripe, no início da campanha, muitas unidades de saúde já registraram a falta das vacinas. A assessoria da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) confirmou o erro e informou que tentou solucionar o problema solicitando a liberação de mais vacinas ao secretário de Estado de Saúde. Contudo, o depósito estava fechado impossibilitando de pegar a dose.

A UBS Estrela Dalva, que fica no bairro Taquaral Bosque, região Sul, teve o mesmo problema. Ao questionar a escassez do medicamento, fomos informados que a unidade recebeu 90 doses de manhã e 40 doses de tarde. “Tem que chegar 6h30 amanhã para conseguir”, avisou um funcionário.

A usuária Danielle Cristina da Silva, que levava o filho de 1 ano e 7 meses para vacina, no entanto se mostrou indiferente à situação. “Não acho nada. Vou em outro posto agora e se precisar, amanhã eu volto mais cedo” , disse antes de entrar no seu carro.

Outras duas unidades visitadas pelo Midiamax apresentavam atendimento normal. A UBS Iracy Coelho estava com atendimento normal e contava com uma fila de oito pessoas. O Centro de Saúde São Francisco, localizado no Jardim Anache, quase não tinha fila e segundo uma enfermeira contava com estoque de 600 vacinas.

Em Mato Grosso do Sul o público-alvo corresponde a uma população de 667.922 pessoas, sendo a meta de imunização 80% deste público. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde foram enviados pelo Ministério da Saúde apenas 50% do estoque necessário e segundo a Sra. Ângela Lopes, superintendente geral de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde, nesta semana chegam outros 30% e na próxima semana os 20% restantes.

Jornal Midiamax