Cotidiano

Engenheira de MS morre após cirurgia de redução de estômago

Ela ficou três semanas internadas em UTI

Midiamax Publicado em 29/06/2016, às 18h53

None
bariatrica_treslagoas.jpg

Ela ficou três semanas internadas em UTI

A engenheira de Segurança do Trabalho de Três Lagoas, cidade a 340 quilômetros de Campo Grande, Vivian Teixeira Bogamil, de 37 anos, morreu nesta terça-feira (28) em decorrência de complicações após uma cirurgia bariátrica. Ela chegou a ficar internada três semanas na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em Campo Grande. 

A três-lagoense passou pela cirurgia de redução de estômago na Capital há quase um mês. Nesta segunda-feira (27), ela teria passado mal e ido a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento Comunitário) da cidade, onde foi atendida e encaminhada ao Hospital Auxiliadora. Segundo o Site HojeMais, ela estaria com infecção por conta de um grampo que se rompeu.

De acordo com uma amiga da mulher, que preferiu não se identificar, Vivian tinha uma filha de quatro anos, e sempre teve vontade de emagrecer. Depois de algum tempo de pesquisas por cirurgiões ela resolveu fazer a bariátrica. “Ela tinha uma saúde de ferro, mas depois de 15 dias que havia sido operada começou a ter complicações”, disse ao site.

A amiga ainda comentou que ela esperou três horas por atendimento no UPA e um dia e meio por vaga na UTI no Hospital Auxiliadora. “Eu acredito que se o atendimento fosse mais rápido, ela teria superado as complicações”, completou.

A Assessoria de Comunicação do Hospital Auxiliadora informou ao site que ela deu entrada a unidade na segunda-feira de manhã. Ela foi internada, medicada e no dia 28, foi encaminhada ao Hospital Cassems, onde morreu momentos depois de dar entrada na UTI.

É o segundo caso de moradora de Três Laoas que falece em decorrência de cirurgia bariátrica neste ano. Em janeiro, a empresária Glaucielle Batista Sobrinho, de 36 anos, faleceu 4 dias após passar pela cirurgia de redução de estômago. 

Jornal Midiamax