Cotidiano

Vereadores esperam que prefeitura volte a administrar o Instituto Mirim

Airton Saraiva presidiu a audiência pública

Midiamax Publicado em 06/04/2015, às 16h56

None
img-20150406-wa0108.jpg

Airton Saraiva presidiu a audiência pública

Os vereadores que estiveram presentes na audiênciapúblicadestasegunda-feira (6), onde foi discutida a atual situação do IMCG (Instituto Mirim de Campo Grande), em sua maioriapreferem que a Prefeitura de Campo Grande assuma a gestão da ONG (Organização Não Governamental).

O vereador Airton Saraiva (DEM), que presidiu a audiência, disse que ainda vai solicitar documentos as ambas partes que estiveram na audiência, prefeitura e Mirim. “Ouvimos os dois lados e agora vamos solicitar mais documentos, espero que entre em acordo”, ressaltou.

Ainda de acordo com o vereador, a Câmara vai solicitar que a direção do Mirim seja entregue a Prefeitura de Campo Grande, que mantém o Instituto. “A prefeitura tem maior influência no instituto, ela que mantém o Mirim. Se a prefeitura deixar de realizar repasse a Mirim não se sustenta”, declarou.

Além de Saraiva, o vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB) ressaltou que o executivo municipal investe muito na ONG. “A prefeitura coloca R$ 8 milhões por ano na Mirim”. O vereador Paulo Pedra (PDT), disse ainda que o instituto não pode seguir sem a gestão municipal.

“O Mirim não pode andar sem prefeito. Essa queda de braço de esta e quem quer estar tem que acabar. Os dois lados dizem que tem razão”, afirmou.

O promotor Sérgio Harfouche esteve na audiência pública e declarou que a atual gestão deve permanecer até dia 15 de abril, quando encerra o mandato. Harfouche concorda que a prefeitura deve administrar a instituição, uma vez que 90% dos recursos são do executivo. “É o mais natural o município ser o gestor”.

Ainda de acordo com Harfouche, os professores que estão no Instituto devem ser escolhidos com cuidado pela Prefeitura. Segundo o promotor, os docentes não servem apenas para ensinar, mas também para exemplo dos jovens. “Os alunos são produtos dos professores. Não é qualquer professor, tem que ser preservado o valos do professor. Esses jovens estão em um momento de visão, visão pela qual eles percebem que vale a pena ser honesto”.

O promotor destacou que os jovens não podem ser prejudicados por brigas políticas pela gestão do instituto. Para o secretário de administração, Wilson do Prado, tem que ficar claro que o Mirim não é da gestão do ex-prefeito Alcides Bernal. “Vamos lutar até o fim para que volte a ser da prefeitura”, concluiu.

Após a audiência, os vereadores se reuniram as portas fechadas com o promotor, a atual direção do Mirim e um representante da Prefeitura. Prado não participou da reunião, mas enviou um representante. 

Jornal Midiamax