Cotidiano

Sem previsão de vagas, pacientes com AVC são obrigados a esperar em UPA

Dois pacientes da UPA Coronel Antonino aguardam disponibilidade de leitos 

Midiamax Publicado em 14/06/2015, às 14h56

None
_mg_9935_pequena.jpg

Dois pacientes da UPA Coronel Antonino aguardam disponibilidade de leitos 

Familiares de pacientes que sofreram AVC (Acidente Vascular Cerebral) reclamam da falta de vagas nos hospitais de Campo Grande. Uma idosa de 95 anos e um homem, de 53, esperam na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino, região norte da Capital, para que sejam transferidos, no entanto, não há previsão de disponibilidade de leitos.

A comerciante Maria Margarida, de 51 anos, diz que o irmão Elias Vargas Nogueira, de 53, foi encaminhado para a UPA na última sexta-feira (12) e até a manhã deste domingo (14), não havia conseguido transferência. “Fui ao Ministério Público Estadual para pedir para que o município o transfira para um hospital particular. Ele precisa ser transferido”, frisa.

A aposentada Tânia Loiola, de 68 anos, também reclama de falta de vaga para a mãe, que teve um AVC na madrugada desse sábado (13).  A idosa permanece internada sem previsão para que seja transferida.

“Minha mãe tem convênio, mas veio para cá porque foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros. Agora estamos esperando que haja alguma vaga. Disseram que ela teria de ser levada para o Hospital Regional, mas não sei como está isso. Tinha de passar um faz e a enfermeira falou que não iria passar”, afirma.

Além da falta de vagas, um informativo na porta da UPA diz que não haverá médicos suficientes para atendimento neste domingo.  “Estamos indignados, porque não tem médicos para atender o dia todo. Isso é o caos da saúde pública de Campo Grande”, observa a comerciante.

De acordo com a escala médica da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), neste domingo três médicos adultos estariam de plantão, mas conforme as informações, apenas dois estão trabalhando.

A reportagem do Jornal Midiamax, tentou falar com a enfermeira chefe de plantão, no entanto, foi informada de que ela estava no atendimento de emergência e não poderia conceder entrevista.

Jornal Midiamax