Cotidiano

Sem negociação à vista, greve dos bancários fecha 92% das agências

A categoria pede reajuste de 16% de aumento

Padrão do site Publicado em 09/10/2015, às 17h29

None
(Foto: Thatiana Melo)

A categoria pede reajuste de 16% de aumento

A greve dos bancários entrou em seu quarto dia e atinge 92% dos bancos em Campo Grande e mais 26 municípios na região. Entre 66 agências, 61 estão fechadas na Capital. Nos outros municípios ligados ao sindicato da Capital, de 170 unidades, 141 estão sem atendimento.

Segundo o presidente do Sindicário (Sindicato dos Bancários de Campo Grande e Região), Edvaldo Barros, não há data para retornar as atividades, pois, as negociações estão paradas. A greve começou na terça-feira e, de acordo com o sindicalista,  nos últimos dias “adesão está bem maior e vem em uma crescente. Hoje temos quase 100% de apoio dos bancários”.

Com relação à negociação com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), ele diz que não houve proposta e que não foi marcada nova rodada de negociação. “O banqueiros estão quietos, não procuram o sindicato, mas nós já emitimos nota pedindo reabertura das negociações e acreditamos que nos próximos dias retomamos as conversas”.

A categoria pede um reajuste de 16%, sendo 5,6% de aumento real e 9,88% referentes à perda da inflação, além de mais contratações e segurança. A Fenabam apresentou uma proposta de reajuste de 5,5%, mas a classe rejeitou.

Os caixas eletrônicos continuam em funcionamento, mas sem funcionários para fazer o abastecimento, o que pode provocar faltar dinheiro nos próximos dias. (Com supervisão de Marta Ferreira)

Jornal Midiamax