Cotidiano

Sem avanços nas negociações greve da universidade federal entra no seu 32º dia

Próxima reunião para tratar do reajuste será dia 22 deste mês

Thatiana Melo Publicado em 16/07/2015, às 14h48

None
img-20150526-wa0052_pequena.jpg

Próxima reunião para tratar do reajuste será dia 22 deste mês

Sem avanços nas negociações com o governo Federal, a greve das universidades federais entra no seu 32º dia. De acordo com o presidente da Adufms (Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), José Carlos, no dia 15 deste mês uma audiência no Senado ocorreu para discussão das condições de trabalho dos docentes, e para um pedido de apoio aos parlamentares quanto ao reajuste salarial da categoria.

“Esperamos até o dia 26 entrar em um acordo com o governo, antes do envio da LOA (Lei Orçamentária Anual) para aprovação no Congresso”, explica José Carlos. Segundo informações o fator que tem travado as negociações é o financeiro, o que atrapalha na proposta de reestruturação das carreiras.

Ainda segundo José Carlos outras audiências com os senadores estão sendo agendadas para tentar reverter os cortes anunciados pelo MEC, que terá redução em verbas para investimentos em torno de 50% e 10% em custeio. “Com estes cortes vai ficar complicada a situação das obras já iniciadas nas universidades. Vamos fazer agora um levantamento sobre o impacto que esta decisão vai causar”, diz.

A próxima reunião para a discussão da reivindicação da categoria quanto ao reajuste salarial de 27% será no dia 21, no MPOG (Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão), em Brasília.

Greve

Os professores e administrativos reivindicam um reajuste de 27% e reestruturação da carreira. O reajuste segundo o comando de greve é em relação à inflação de junho de 2011 a julho de 2016, este percentual deverá ser aprovado para a inclusão na LOA (Lei Orçamentária Anual) deste ano e aplicado a partir de 2016.

Jornal Midiamax