Cotidiano

Prefeitura tenta negociar com cartão do servidor, mas professores rejeitam

Categoria rejeitou nova sugestão de acordo

Midiamax Publicado em 07/08/2015, às 21h15

None
img-20150807-wa0118.jpg

Categoria rejeitou nova sugestão de acordo

Professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) novamente rejeitaram proposta de negociação da Prefeitura de Campo Grande para por fim à greve da categoria. A deliberação ocorreu no fim da tarde desta sexta-feira (7), depois de docentes se reunirem em assembleia na ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública). 

Diferente das outras propostas, onde apenas índices percentuais eram apresentados , a Prefeitura sugeriu desta vez conceder acréscimo nos vencimentos da categoria por meio do cartão do servidor de alimentação da Brasil Card.

De acordo com o Indicativo enviado pelo Município aos professores, a Prefeitura se comprometeria em cumprir a Lei Municipal 5.411/2014, que prevê a aplicação de 13.01% no salários dos servidores, mas a negociação deveria ser na seguinte linha: aplicação de 8% no salário bruto dos professores por 90 dias com o uso do cartão Brasil Card, junto da garantia de que se ao fim do período o Município não atingisse o limite prudencial da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) para discutir novamente os 13.01%, seriam acrescentados 5.01% em três parcelas de 1.67% a partir dos meses de novembro, dezembro e janeiro de 2016 nos vencimentos dos docentes.

A despesa dos 8% seria uma verba de natureza indenizatória, de acordo com o Município. A categoria recusou o indicativo, porque o valor não seria contado no plano de carreira e nem na aposentadoria dos servidores. 

Alguns professores, os mais exaltados, afirmaram que a sugestão é uma afronto aos educadores e que a Prefeitura estaria tentando resolver a situação com um “jeitinho brasileiro”. 

Jornal Midiamax