Cotidiano

Prefeitura encerra negociações com professores e propõe decisão na Justiça

Proposta é de que pedido de reajuste seja julgado pelo TJ desde que professores voltem a dar aula

Midiamax Publicado em 07/08/2015, às 23h36

None
_mg_8436_interna_1.jpg

Proposta é de que pedido de reajuste seja julgado pelo TJ desde que professores voltem a dar aula

Após diversas propostas recusadas por professores,  Prefeitura de Campo Grande propôs decisão na Justiça aos professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). A decisão foi tomada após reunião no Paço Municipal no fim da tarde desta sexta-feira (7).

O secretário municipal de administração Wilson do Prado declarou que a Prefeitura decidiu propor aos professores que as partes criem comissões jurídicas e façam pedido para que o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul julgue imediatamente o processo de pedido de reajuste feito pela ACP (Sindicato dos Professores de Campo Grande).

“Faremos isso desde que os professores voltem ao trabalho na semana que vem”, explica o secretário. A categoria decidirá se aceita ou não em assembleia no sindicato na segunda-feira (10).

Wilson do Prado lamentou a situação. “Não podemos pagar o limite prudencial, nem dar qualquer outro reajuste. É uma perda para as duas partes que a decisão seja feita pela Justiça”.

A greve

Os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino), estão em greve desde o dia 25 de maio. Ao todo, contanto o período de férias, já são 75 dias de paralisação. A categoria reivindica o cumprimento da Lei 5.411/2014, que concede o reajuste de 13,01% nos salários dos professores e equipara o piso salarial local ao piso nacional.

No último dia 9 de julho os professores receberam da Prefeitura a proposta da aplicação de 0,85% nos salários de setembro deste ano até junho de 2016, com a garantia de voltarem a discutir 4,6% no dia 19 de outubro. Em assembleia, os docentes deliberaram por não acatar a sugestão.

De acordo com levantamento da ACP, antes de suspenderam a greve por causa das férias escolares, das 96 unidades da Reme 29 delas funcionavam plenamente.

Jornal Midiamax