Cotidiano

Nossa Senhora: santa ‘mãe que parece com o filho’ tem dia de celebrações

Dom Dimas celebra missa e lembra significado da imagem de Nossa Senhora negra

Midiamax Publicado em 12/10/2015, às 12h40

None
missa_dom_dimas.jpg

Dom Dimas celebra missa e lembra significado da imagem de Nossa Senhora negra

Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida foi homenageada pelo arcebispo de Campo Grande, dom Dimas Lara Barbosa, em missa comemorativa à data, celebrada nesta segunda-feira (12), na Igreja Nossa Senhora Aparecida, na Vila Margarida. As celebrações incluem procissão e carreata ao longo do dia na Capital.

Questionado sobre a importância de Nossa Senhora para o Brasil, o líder católico relembrou viagem que fez à Basílica de Anunciação, em Nazaré, quando diz ter visto nos vitrais a figura de Maria, em “suas várias formas e de culturas diferentes”, inclusive Nossa Senhora Aparecida, como é lembrada no Brasil, além de outros países. “A gente nem sempre parece com a mãe, mas ela sempre dá uma jeito de se parecer com a gente”, disse. 

Isto porque, explica, a imagem no Brasil foi encontrada há quase 300 anos, em um contexto da escravidão. “É muito significativo. Ela era negra. A Mãe fez questão de parecer com o filho, com quem mais precisava no momento”.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira do Brasil, é representada por uma imagem de terracota da Virgem Maria. Atualmente, a imagem, encontrada há 298 anos, está alojada na Basílica de Nossa Senhora, na cidade de Aparecida, em São Paulo. Segundo relatos, a aparição da imgem aconteceu quando Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos, estavam de passagem pela cidade de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba.

Para o padre responsável pela igreja, Marcelo Tenório, a comemoração de hoje tem um gosto mais especial. É que, além do proximidade do aniversário de 300 anos do aparecimento da imagem no Brasil, que será comemorado em 2017, este ano, a comunidade completa 25 anos. “É uma alegria muito grande. Tem um significado muito forte este ano. Nossa Senhora Aparecida é rainha e padroeira do Brasil”.

Em Campo Grande, a comemoração pela data começou cedo, com queima de fogos na igreja. Depois da missa, será promovido ainda o rito prudentino, às 11 horas, e, em seguida, um almoço. Na Paróquia de mesmo nome, na Vila Planalto, a celebração começou com uma procissão e continua com uma carreata, às 16 horas, e o encerramento será às 19 horas, com a celebração de uma missa. A comemoração é semelhante no restante do País, com missas e procissões marcadas durante o dia. O Santuário Nacional de Aparecida, por exemplo, é o maior templo católico do País, espera receber ao menos 160 mil fiéis. A missa por lá acontece neste momento e segue com procissão e queima de fogos.

Devoção

Católico e de mesmo nome, Aparecido Pereira, vendedor de 66 anos, diz ser devoto de Nossa Senhora ‘desde criança’, até mesmo por causa do nome. Como ele não conheceu sua mãe, não soube o motivo da escolha de seu nome, mas garante que cultiva a devoção ‘desde sempre’ e resolveu participar da missa, mesmo sendo em bairro diferente do seu. Provas de intervenção de Nossa Senhora em sua vida, fizeram com que Eva Messias da Costa, 59 anos, se tornasse devota, afirma. “Tudo que pedi à ela eu alcancei. É importante a celebração”, disse.

Jornal Midiamax