Cotidiano

Multa esfria protesto e caminhoneiros param manifestações em MS

Não há registro de manifestações nesta quarta-feira

Midiamax Publicado em 11/11/2015, às 11h30

None
img-20151111-wa0005.jpg

Não há registro de manifestações nesta quarta-feira

A Medida Provisória anunciada na noite dessa terça-feira (10), pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, esfriou o protesto de caminhoneiros, contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT). As manifestações começaram na última segunda-feira (9) com o bloqueio de rodovias em diferentes regiões do país.

A multa, conforme o que foi anunciado pelo ministro da Justiça, será de R$ 5.746 para os caminhoneiros que participarem dos bloqueios. Já os organizadores à frente das manifestações, deverão pagar R$ 19.154.

Na manhã desta quarta-feira (11), o governo publicou no Diário Oficial da União, a autorização do emprego da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), em apoio ao DPRF (Departamento de Polícia Rodoviária Federal), pelo período de 20 dias, a partir da data de publicação desta Portaria, para atuar nas ações de segurança pública, nas rodovias federais do país.

O presidente da Cootrapan (Cooperativa de Transportes de MS) Valcir Francisco da Silva, admite que a Medida Provisória esfriou às manifestações e se declarou fora dos protestos. “O pessoal está meio desanimado, mas provavelmente pela medida provisória que prevê multa para caminhoneiros e organizadores. Eu abandoei os protestos, não vou mais. Faltou união da sociedade. A categoria estava unida, mas não recebeu apoio da população”, lamenta.

Em Mato Grosso do Sul, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) confirmou três manifestações, todas realizadas nessa terça-feira. A primeira começou no km 634 da BR-267 em Maracaju, onde os caminhoneiros chegaram a bloquear a rodovia com caminhões, no entanto retiraram os veículos a pedido da PRF e mantiveram apenas pneus espalhados na pista, o que não impediu o tráfego de veículos.

Outras duas manifestações ocorreram no KM 479 da BR-267 em Jardim e também em Eldorado, cidade que faz fronteira com Paraguai. Os protestos foram encerrados no fim da tarde de ontem. Na manhã de hoje não há informações de novas manifestações.

A Polícia Militar Rodoviária também informou que houve protestos. Na manhã da última segunda-feira, os caminhoneiros bloquearam o km 121 em Nova Andradina e no início da tarde, os manifestantes trancaram o no km 186 da MS-276. As manifestações também foram encerras ontem. 

Jornal Midiamax