Cotidiano

Greve na radiologia suspende serviço de raios X nos postos de saúde de Campo Grande

A paralisação deve durar 72 horas e atinge todas as unidades de saúde da Capital

Midiamax Publicado em 06/04/2015, às 11h01

None
img-20150406-wa0002.jpg

A paralisação deve durar 72 horas e atinge todas as unidades de saúde da Capital

Os profissionais de radiologia, responsáveis pelo serviço de raios X na Capital, entram em greve a partir das 6 horas desta segunda-feira (6). Eles reivindicam da Prefeitura de Campo Grande o aumento de uma gratificação de R$ 385 que está congelada desde 2004. A princípio, a paralisação está prevista para durar 72 horas.

De acordo com o presidente do Sinterms(Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Radiologia das Empresas Públicas e Privadas de Mato Grosso do Sul), Adão Julio da Silva, na prática, diversos pacientes que procurarem as unidades de saúde na Capital ficarão prejudicados, já que serviços básicos da saúde são feitos pelos radiologistas. Contudo, o sindicato informa que um terço dos profissionais ficarão de prontidão.

“Nós somos responsáveis pelo atendimento dos pacientes com fraturas, bem como aqueles que chegam aos postos com dores abdominais. São os radiologista que fazem  raios X a fim de ajudar no diagnóstico do paciente”, explica Adão.

O Sinterms reclama também do não pagamento da insalubridade e da falta de condições para a saúde e segurança no trabalho da categoria.

O sindicato afirma que há, atualmente, 50 radiologistas concursados e mais 32 contratados. A categoria deve se reunir na frente da Prefeitura a partir das 8 horas desta segunda-feira (6) com a finalidade de pressionar o poder público.

Outro lado

De acordo com a assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), na última quarta-feira (1º), o Sinterms protocolou um ofício na secretaria para pedir solução. A Sesau destacou que recebeu as solicitações e já encaminhou à Procuradoria Jurídica do município.

Jornal Midiamax