Cotidiano

Escorpião amarelo é encontrado em bairro nobre

O aracnídeo foi capturado dentro da cozinha de um morador

Midiamax Publicado em 14/01/2015, às 11h46

None
img-20150114-wa0001.jpg

O aracnídeo foi capturado dentro da cozinha de um morador

Moradores do Carandá Bosque I, bairro nobre de Campo Grande, reclamam da existência de diversos escorpiões amarelos na região. Segundo eles, esta é uma das espécies mais venenosas de aracnídeos, podendo causar a morte de uma pessoa.

De acordo com o aposentado Júlio Gerevine, de 65 anos, que mora no Carandá há 16 anos, esta foi a primeira vez que um bicho deste foi visto por ele. Julio mora com a esposa, também idosa, de 63 anos, na Rua Hélio Pereira Coelho e capturou o escorpião entrando pela cozinha de sua casa.

“Em todos esses anos morando aqui nunca havia visto um escorpião venenoso como este. Pior ainda é que ele é apenas um filhote, assim, é possível que tenha uma família desses bichos andando por aqui”, alerta.

Outra moradora da região, a dona de casa Maria do Rosário, de 55 anos, conta que já viu, há alguns dias, um escorpião. “Eu vi um deles e parecia ser dos grandes. O encontrei enquanto fazia limpeza em minha casa”, conta.

Por outro lado, O CCZ (Centro de Controle de Zoonozes) informou que, quando recebe solicitações deste tipo, é feito um programa de orientação à população a fim de evitar acidentes. Além disso, pode ser usado inseticida para matar os bichos.

De acordo com o CCZ, esta época de verão, a incidência destes bichos aumenta bastante, em virtude do clima quente.

Por fim, o CCZ informa que os moradores podem ajudar a conter os aracnídeos fazendo a limpeza dos terrenos baldios e colocar saquinhos de areia no rodapé das portas, para evitar que os bichos entrem nas casas.

Escorpião amarelo

Esta espécie de aracnídeo mede, aproximadamente, 7 centímetros e possui veneno capaz de matar uma criança ou um idoso. O bicho é considerado o mais perigoso da América do Sul, pois seu veneno age em todo sistema nervoso periférico. A fêmea consegue parir cerca de 20 filhotes por ano, cerca de 160 durante toda a vida. (fonte Wikipédia)

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax