Cotidiano

Discussão sobre suposto furto em borracharia teria motivado homicídio

Jovem foi atingido por tiros na cabeça disparados por patrão

Wendy Tonhati Publicado em 02/11/2015, às 13h16

None
interna2_14.jpg

Jovem foi atingido por tiros na cabeça disparados por patrão

Uma discussão por conta de supostos furtos em uma borracharia pode ter sido a causa da morte do jovem Gutierre Brites Lima, de 18 anos, na noite de domingo (1º), no Jardim Anache, em Campo Grande. O suspeito do crime é José da Costa, de 42 anos, patrão da vítima.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado nesta segunda-feira (2), as mulheres da vítima e do suspeito discutiram no fim da tarde do domingo e até agressões físicas aconteceram. A briga ocorreu após uma mensagem de celular sobre o possível furto.

A mulher do suspeito relatou aos policiais que recebeu uma mensagem da esposa da vítima, dizendo que José e Gutierre teriam discutido por conta de supostos furtos que estavam acontecendo na borracharia de José. Depois disso, a mulher de José saiu do trabalho e foi até a casa da mãe da esposa de Gutierre. Houve uma nova discussão, onde a mulher do suspeito teria sido agredida verbal e fisicamente. A mulher foi embora e o crime acabou acontecendo horas depois, na borracharia do suspeito, onde a vítima trabalhava. 

Morte

Gutierre foi morto com cinco tiros, sendo três no rosto e dois no tórax, de acordo com o boletim de ocorrência. Consta no registro, que o suspeito é José da Costa, de 42 anos, patrão da vítima. Conforme o registro, testemunhas disseram aos policiais que o patrão e o funcionário discutiam frequentemente por motivos banais. Gutierre era funcionário da borracharia havia dois anos e morava em uma kit net nos fundos do estabelecimento.

O irmão de Gutierre tentou intervir no momento da briga, no momento em que o patrão tentava acertar a vítima com um escapamento. Ele falou para Gutierre correr no momento em que o patrão foi buscar alguma coisa, porém, o rapaz não fugiu e acabou atingido pelos tiros. 

Consta no registro que o suspeito fugiu no carro de passeio da mulher. Ainda segundo as testemunhas, o José teria duas armas de fogo. O caso foi registrado como homicídio doloso na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. 

Jornal Midiamax