Cotidiano

Conselho diz que LDB permite ano letivo menor, mas só vai se pronunciar terça-feira

Por conta da greve dos professores, ano letivo pode ser encurtado

Midiamax Publicado em 08/10/2015, às 17h24

None
escola_municipal_carlos_vilhalva_cristaldo.jpg

Por conta da greve dos professores, ano letivo pode ser encurtado

O CME (Conselho Municipal de Educação) afirmou que a LDB (Lei de Diretrizes Básicas) permite um ano letivo menor em certas ocasiões, mas só deve se pronunciar oficialmente na terça-feira (13), conforme revelado pela presidente Zaíra Fátima Lopes nesta quinta-feira (8).

Zaíra relatou ao Midiamax que o Conselho foi oficializado nesta quarta da proposta da Semed (Secretaria Municipal de Educação) de ‘limar’ vinte dias de aula dos alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino) para terminar o ano letivo ainda em 2015. As aulas foram remanejadas por conta da greve dos professores, que durou de 25 de maio até 25 de agosto.Conselho diz que LDB permite ano letivo menor, mas só vai se pronunciar terça-feira

A presidente do CME não quis adiantar nada mas afirmou à reportagem que o artigo 23 da LDB permite que o ano letivo seja menor, em ocasiões especiais, o que é o caso por conta do grande tempo de paralisação.

A proposta

De acordo com a superintendente da Semed, professora Sandra Rose, a intenção é evitar que o ano letivo seja prolongado até fevereiro de 2016. Por causa da greve dos professores da rede municipal de educação, os alunos ficaram meses sem aula e estão em fase de reposição.

Segundo o professor Geraldo Gonçalves, presidente da ACP (Sindicato dos Professores de Campo Grande), a categoria é a favor de “limar” estes vinte dias letivos para terminar o ano letivo em 2015. “Se não reduzirem vai alongar para janeiro, fevereiro. O que os pais vão dizer? Entendemos que seria o melhor para todos”.

Jornal Midiamax