Cotidiano

Campo-grandenses dão com a ‘cara na porta’ ao buscar serviços da Prefeitura

Ponto facultativo foi dado por conta de reunião

Midiamax Publicado em 10/08/2015, às 16h42

None
_mg_8740_pequena.jpg

Ponto facultativo foi dado por conta de reunião

O ponto facultativo nos órgãos municipais pegou muitos campo-grandenses de surpresa. Na manhã desta segunda-feira (10), pessoas que buscaram atendimento tiveram de voltar para casa sem realizar o serviço.

Na Central de Atendimento ao Cidadão, localizada na Rua Marechal Rondon, a busca por atendimento foi grande e apenas um aviso pregado na porta informava sobre o ponto facultativo dado aos servidores municipais.

Aposentado por invalidez, Otacílio Carneiros, de 63 anos, que tem dificuldade de mobilidade reclama da falta de atendimento. “Isso não é certo. Vim de longe, tive de pegar três ônibus para chegar aqui e agora vou voltar sem resolver nada”, lamenta.

Neide Rodrigues, de 51 anos, foi ao local para tentar anular uma multa no valor de R$ 1.830,00, porém, sem atendimento não conseguiu fazer a justificativa . “Hoje era o último dia e agora vou ter de pagar. Eles mandam a gente vir para fazer isso e não estão atendendo, me sinto prejudicada”, frisa.

O corretor de imóveis, Márcio Borges, de 44 anos, necessita da certidão de um imóvel e também se sentiu prejudicado por conta do ponto facultativo. “Isso é uma porcaria. Precisava do habits hoje. Não tem nada a ver decretar ponto facultativo”, ressalta.

A confeiteira Marinalva Alcântara, de 49 anos, foi ao local para pagar o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), no entanto, apenas ao ler o aviso na porta, soube que não haveria atendimento.

“Tinha até hoje para pagar com desconto, agora não sei como vão fazer. É o prefeito que tem compromisso hoje, não tem nada a ver dar ponto facultativo aos funcionários públicos”, destaca.

O arquiteto, de 30 anos, que preferiu não se identificar, tinha uma viagem marcada e terá de adiar o compromisso porque não conseguiu realizar o serviço na Central de Atendimento ao cidadão. “Tinha de viajar nesta noite, vou ter de adiar porque preciso resolver algumas coisas aqui”, afirma.

Na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), a situação não foi diferente. O autônomo, João Andrade Nabhan, de 62 anos, que buscava atendimento para a esposa, também ficou surpreso com o aviso. “Minha esposa faz um tratamento em Bauru e eu vim buscar a passagem, mas está fechado”.

Ponto facultativo –

O ponto facultativo foi publicado na última quarta-feira (5), no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) por conta da reunião entre prefeitos de todos os municípios de Mato Grosso do Sul.

Os chefes dos Executivos de todo o Estado se Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), com o objetivo é discutir soluções para a crise econômica que tem feito o governo federal reduzir os repasses feitos às prefeituras.

Jornal Midiamax