Cotidiano

Caixa deve pagar R$ 10 mil a homem com muleta barrado em porta giratória

Banco informou que não vai recorrer da decisão

Midiamax Publicado em 05/07/2015, às 01h56

None
imagem-ilustrativa-para-caixa-economica-federal-banco-loteria-financiamento-credito-popular-emprestimo-economia-1373936254564_615x300.jpg

Banco informou que não vai recorrer da decisão

A Caixa Econômica Federal foi condenada a pagar R$ 10 mil a um homem que foi barrado por causa de sua muleta em uma porta giratória de uma agência bancária em Indaiatuba, no interior de São Paulo. 

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região julgou o caso e considerou que o homem foi submetido a uma situação vexatória.

Em primeiro grau, a Caixa foi condenada a pagar R$ 5.000, mas houve recurso e o valor foi ampliado.

De acordo com nota da assessoria de imprensa do tribunal, uma testemunha atestou que “os funcionários da Caixa, ao invés de procurar reduzir a dificuldade, intensificaram-na, desnecessária e abusivamente, rindo dele, constrangendo-o diante das demais pessoas que frequentavam o local”.

O banco informou que não vai recorrer da decisão da Justiça. Veja nota divulgada pelo banco:

“A Caixa Econômica Federal esclarece que utiliza portas giratórias com detectores de metais em suas agências, de acordo com a Lei 7.102/83, que disciplina o sistema de segurança em estabelecimentos financeiros em todo o território nacional. Os dispositivos de segurança são utilizados por todos os bancos para proteger clientes e empregados, não sendo intenção criar obstáculos desnecessários. A Caixa não recorrerá da decisão do Tribunal.”

Jornal Midiamax