Cotidiano

Bernal diz que músicos citados pelo MPE faziam parte da Orquestra Sinfônica de CG

Alcides Bernal está sendo investigado juntos com mais seis pessoas

Kemila Pellin Publicado em 16/07/2015, às 19h48

None
i.jpg

Alcides Bernal está sendo investigado juntos com mais seis pessoas

O ex-prefeito Alcides Bernal enviou uma nota de esclarecimento à imprensa, sobre as acusações do MPE (Ministério Público Estadual) de improbidade administrativa, na contratação de 13 músicos “não consagrados” sem licitação. Segundo ele, os músicos, que se apresentaram em Ribas do Rio Pardo em 2013, fazem parte da Orquestra Sinfônica de Campo Grande.

Conforme Bernal, Campo Grande faz parte de um projeto da Fundação de Turismo do Estado denominado Caminho dos Ipês, que abrange além da Capital, mais nove municípios, entre eles Ribas do Rio Pardo e tem como objetivo “desenvolver o potencial turístico da região tendo como destaque os segmentos de turismo rural, cultural, ecoturismo, agrotecnológico, místico, negócios e eventos”, cita a nota.

Ainda segundo a nota, os músicos mencionados pelo MPE foram contratados para participar do Primeiro Seminário de Turismo Caminho dos Ipês, na cidade de Ribas do Rio Pardo, que reuniu todos os municípios participantes do projeto, representando a capital em um projeto no qual a mesma é parte integrante. 

Alcides Bernal está sendo investigado juntos com mais seis pessoas, entre elas Júlio Cabral, ex-presidente da Fundac (Fundação Municipal de Cultura). A ação civil pública chegou este mês à 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande. Nela, a Promotoria sustenta que a contratação dos músicos, em 2013, desrespeitou a legislação porque “não são artistas consagrados pela crítica especializada ou pela opinião pública”, como exige a Lei nº 8.666/93, que trata das licitações.

Jornal Midiamax