Cotidiano

Após fusão da Anhanguera, universitários questionam mudanças durante ano letivo

Alterações no ensino atingiriam também veteranos

Midiamax Publicado em 13/07/2015, às 13h00

None
uniderp_fachada.jpg

Alterações no ensino atingiriam também veteranos

Mais uma mudança empresarial na Uniderp é apontada pelos universitários e clientes da instituição como motivo de preocupação. Segundo os estudantes da Uniderp-Anhaguera, mudanças na grade curricular e no método de ensino implantadas depois que a instituição se juntou ao grupo Kroton Educacional estariam atrapalhando o andamento do ano letivo

Os universitários acham que as novidades deveriam ser implementadas para quem vai ingressar no segundo semestre de 2015, e não ser ‘impostas’ a aqueles que já estão há alguns semestres com o método atual da Anhanguera.

A fusão entre a Anhaguera e o grupo Kroton foi ratificada em agosto do ano passado e, de acordo com a assessoria da rede, este ano foi dado início ao processo de integração dos dois grupos, o que inclui a área acadêmica.

A previsão é de que ainda este ano um único projeto pedagógico opere nas instituições de ensino. Segundo explica o grupo, a plataforma base será o modelo de ensino da Kroton.

No entanto, uma funcionária de uma das instituições de ensino da Anhaguera, que prefere não se identificar, por medo de represálias, afirma que, com as mudanças e fusão de várias disciplinas em um módulo só, acadêmicos antigos perderão carga horária e terão o ensino prejudicado. Outra reclamação é de que o novo sistema é extremamente dependente da internet e muitos acadêmicos não têm acesso em casa. O novo método, diz ela, seria uma forma de baratear o ensino.

Além disso, acadêmicos que ingressaram em 2015 também teriam que se adaptar às mudanças de ensino, mesmo já tendo concluído uma parte do curso em método diferente.

Em nota, o grupo reconhece que o novo projeto pedagógico nas instituições da Anhaguera começará a ser implementado para os calouros de 2015, mas também para os veteranos das atividades complementares de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) e estágio. Ainda segundo o grupo, as novas metodologias de ensino seguem as diretrizes legais do MEC (Ministério da Educação) e CNE (Conselho Nacional de Educação).

De acordo com o grupo Kroton, a base de modelo acadêmico adota conceitos como Flipped Clasrrom e Adaptive Learning, que significa um método que inverte a lógica de organização da sala de aula. Neste caso, o aluno recebe o conteúdo em casa, por meio de videoaulas e outros recursos interativos, que dependem da internet.

A fusão dos grupos Anhaguera e Kroton foi anunciada em abril de 2014, formando o maior conglomerado do setor no mundo. Em 2008, a Uniderp, uma das instituições do grupo, foi vendida para a Anhaguera que, por sua, vez, no ano passado se fundiu à Kroton. Questionada, a rede de ensino não respondeu sobre o motivo de a mudança atingir todos os alunos, mesmo àqueles acostumados com o módulo atual.

Leitores do Jornal Midiamax também relataram possível redução de 50% do salários dos professores da Uniderp, no entanto, o grupo, até o momento do fechamento desta publicação, não respondeu ao questionamento.

Jornal Midiamax

☰ Últimas Notícias