Cotidiano

Chuva deixa ruas de bairros praticamente intransitáveis em Campo Grande

A chuva que cai em Campo Grande nos últimos dias tem deixado algumas ruas da periferia praticamente intransitáveis, como nos bairros Noroeste e Panorama. A reportagem percorreu algumas vias do bairro e deparou-se com as ruas sem asfalto, onde pedestres e motociclistas têm dificuldade de transitar e carros podem ficar atolados em meio ao lamaçal. […]

Arquivo Publicado em 26/02/2014, às 11h54

None
1573647948.jpg

A chuva que cai em Campo Grande nos últimos dias tem deixado algumas ruas da periferia praticamente intransitáveis, como nos bairros Noroeste e Panorama. A reportagem percorreu algumas vias do bairro e deparou-se com as ruas sem asfalto, onde pedestres e motociclistas têm dificuldade de transitar e carros podem ficar atolados em meio ao lamaçal.

Um exemplo é a Rua Dois Irmãos e Pinheiro Machado, no bairro Noroeste. “É muita lama, quando não chove é buraco”, diz o pedreiro Slivio Alves, de 29 anos,  que transitava de moto na Rua Pinheiro Machado. “Deveria asfaltar, ainda mais que o Noroeste é um bairro antigo”, ressalta o morador.

“Aqui tem o problema da acessibilidade também, tenho um amigo meu que é cadeirante. Para ele é complicado andar em qualquer rua do Noroeste”, diz a estudante Greychiane Kamyla da Silva Santos, de 16 anos.

“Tinha que asfaltar, porque o cascalho na primeira chuva vai embora”, argumenta a também estudante Graziele Patrícia da Silva Santos, de 17 anos.

Outra via onde é difícil transitar a pé ou de veículo é a Guarapuava, na divisa entre o bairro Panorama e o Maria Aparecida Pedrossian. Como se trata de uma descida, moradores contam que a enxurrada é muito forte e invade casas vizinhas. Por conta da força da água, muitas pedras são arrastadas para as vias e até para dentro das casas.

Na divisa entre os bairros, os moradores tiveram que construir uma contenção, que além além da água também impede a passagem de veículos. “Toda vez que chove aqui, vem de tudo, pedra, lixo, a população se revoltou e construiu essa barreira”, diz a dona de casa Maria Lúcia Gomes, de 65 anos. “Faz tempo que isso é assim aqui”, ressalta o encanador Jaime Lindenbergue, de 45 anos.

O secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação de Campo Grande, Semy Ferraz, informou que o bairro Noroeste receberá cascalho no mês de abril, após o término do período de chuvas.

Ainda de acordo com Ferraz, existe um pleito de asfalto para o bairro junto ao Ministério das Cidades, porém o bairro inicialmente deverá receber a rede de esgoto, para depois ser contemplado com o asfalto.

Já a respeito do bairro Panorama, o secretário informa que a empresa M.G. deixou 12 obras inacabadas, entre elas trechos no bairro, como a Rua Guarapuava. No total, são mais de R$ 5 milhões de obras inacabadas que a empresa deixou, segundo Semy.

Ainda de acordo com o representante do Seintra (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), Campo Grande tem aproximadamente 1.500 km sem asfalto e 2.800 pavimentadas.

Os próximos bairros que serão contemplados com asfalto fazem parte da região Imibirussu-Serradinho. São eles o Jardim Carioca, Nova Campo Grande, Santa Luzia além de Nova Lima e Jardim Futurista, num total de R$ 285 milhões em obras, que já tem o aval do Ministério das Cidades e agora precisa ser liberado pelo Tesouro Nacional.

Jornal Midiamax