Cotidiano

Basquete 3×3 quer chegar aos bairros de Campo Grande com competição inédita

Foi realizada na tarde deste sábado (12), a primeira etapa do Circuito Campo Grande de Basquete 3×3, realizado na Praça Esportiva Belmar Fidalgo, em Campo Grande (MS). A chuva atrasou o começo da competição, marcado para as 14h, mas não impediu que os jogos fossem disputados. Realizado pela Federação de Basquete do Mato Grosso do […]

Arquivo Publicado em 12/04/2014, às 19h08

None
32479959.jpg

Foi realizada na tarde deste sábado (12), a primeira etapa do Circuito Campo Grande de Basquete 3×3, realizado na Praça Esportiva Belmar Fidalgo, em Campo Grande (MS). A chuva atrasou o começo da competição, marcado para as 14h, mas não impediu que os jogos fossem disputados.

Realizado pela Federação de Basquete do Mato Grosso do Sul, a competição municipal contou, em sua programação, com 10 times, distribuídos em duas chapas com cinco times cada. Ao final do circuito, dois grupos das duas chaves vão disputar entre si para definir o campeão.

Essa é a primeira edição do campeonato municipal e, a ideia, de acordo com o presidente da Federação de Basquete, Eduardo Marques de Souza, é levar o circuito para mais quatro praças e parques esportivos de Campo Grande. As praças Tarsila do Amaral, Parque Aryton Senna, do Sóter vão receber outros times.

Paralelo ao municipal, a federação também realiza o campeonato estadual. A primeira fase foi realizada em Dourados (MS) e contou com times de várias cidades do estado. O time que ganhar esta competição segue para o torneio nacional.

Modalidade 3×3

O basquete 3×3 é uma modalidade do esporte que une basquete “21” – disputa de lances livres que deve alcançar o limite de 21 pontos – e o de rua. As regras são diferentes das praticadas pelo basquete de quadra, como a soma de pontos de cada lance no jogo e tempo de jogo (10 minutos no 3×3), por exemplo, mas a essência é a mesma: marcar cestas. Segundo Marques, a “vantagem” do 3×3 é a informalidade e despojamento. “Agrega mais pessoas e valores, além de ser mais descontraído”.

Praticante de basquete desde os 15 anos, Victor Alvarez, de 63 anos, é jogador do Deportivo América – time que também competiu – há 10 anos. “O clima do jogo é bem descontraído. O jogo todo é realizado com muita música”, acrescenta.

A advogada Lucy Kelly Dias, 24 anos, é namorada de um dos integrantes do time Deportivo América. Ela sempre acompanha os jogos do namorado e aprova a modalidade do esporte. “Acho muito interessante, pois lembra muito o basquete de rua dos Estados Unidos”, afirma.

Jornal Midiamax