Cotidiano

Ação ampliada contra dengue percorre bairros com agentes em Corumbá

Com mais de 1,7 mil notificações de dengue ao longo de todo o ano, Corumbá deu início nesta segunda-feira (3), a uma ampla ação de combate à proliferação dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença. A intensificação dos serviços vai acontecer ao longo dos próximos quatro meses e consiste num grande mutirão de […]

Arquivo Publicado em 05/12/2012, às 10h13

None
396969640.bmp

Com mais de 1,7 mil notificações de dengue ao longo de todo o ano, Corumbá deu início nesta segunda-feira (3), a uma ampla ação de combate à proliferação dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.


A intensificação dos serviços vai acontecer ao longo dos próximos quatro meses e consiste num grande mutirão de limpeza em toda a área urbana, terrenos baldios e imóveis fechados. Ontem, os trabalhos dos agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) se concentraram nos bairros Aeroporto e Vitória Régia.


A equipe de limpeza teve o foco das ações no bairro Popular Velha. Embora a intensificação tenha ocorrido nesta semana, o trabalho de prevenção e combate já fechou um primeiro setor na última semana. “Os agentes começaram a trabalhar na semana passada e já fizemos os bairros Maria Leite; Popular Velha e Centro América”, disse a este Diário a coordenadora geral de Vigilância em Saúde, médica veterinária Viviane Ametlla.


A coordenadora explicou que os índices de infestação do mosquito da dengue estão acima do aceitável pelo Ministério da Saúde e como a cidade enfrentou grande número de notificações da doença no primeiro semestre, o trabalho de combate precisou ser ampliado, contando com efetivo e ação de outras secretarias municipais.


“O último Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa) deu média de 2,2% de infestação, é alto. A intenção dessa ação integrada é essa, reduzir ao máximo a infestação para que não vivamos nova epidemia”, completou. “Somente de janeiro a maio houve 1,5 mil casos. Agora estamos com 1,7 mil”, disse a veterinária ao explicar que a progressão da doença diminuiu neste segundo semestre de 2012.


Viviane observou que os maiores problemas com relação aos criadouros estão ligados às caixas de água instaladas na altura do solo. Os reservatórios de água em nível de solo foram apontados como os maiores responsáveis pela alta incidência de infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, em 66,7% das situações identificadas pelo sexto ciclo do LIRAa, realizado entre 15 e 17 de outubro.


Logo depois aparecem depósitos móveis (vasos e pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais), com 19,4% de incidência; depósitos fixos (calha, laje, ralos, sanitários em desuso.), com 11,1% e lixo e outros resíduos sólidos, com 2,8%.


Trabalho também quer bloquear dengue tipo 4


 Com o município classificado pela Secretaria de Estado de Saúde como cidade com alta incidência para proliferação da dengue, a coordenadora de Vigilância em Saúde destacou que há bairros problemáticos. No Cristo Redentor, o Levantamento de Índice Rápido chegou a 6,5% na última avaliação, bem acima do 1% que é aceito pelo Ministério da Saúde.


Também aparecem acima do índice aceitável os bairros Popular Velha (6%); Previsul (4%); Centro 1 – que compreende da rua Edu Rocha a Antônio Maria – (2,8%); Generoso ( 2,8%); Guarani (2,7%); Dom Bosco (2,5%); Maria Leite (2,1%); Aeroporto (1,7%); Popular Nova (1,6%); Universitário (1,2%) e Nova Corumbá (1,1%). Com níveis aceitáveis figura o Centro 2 – entre ruas Antônio Maria e Albuquerque – (0,6%). Guatós, Industrial, Jardim dos Estados, Cervejaria, Arthur Marinho, Nossa Senhora de Fátima, Centro América e Beira Rio, não apresentaram focos no último LIRAa.


Toda essa ação também tem o objetivo de bloquear a entrada da dengue Tipo 4 em Corumbá. “Tivemos no começo do ano o Tipo 4. Nossa preocupação é porque a população nunca teve contato. É um sorotipo novo e pode causar epidemia igual a 2009”, argumentou Viviane Ametlla. A partir de amanhã, 05 de dezembro, militares das Forças Armadas reforçam o trabalho de combate à dengue. Também vão integrar a campanha outros 70 novos funcionários públicos municipais aprovados em concurso público.


Foram convocados 50 Agentes de Atividades de Saúde III, que vão desenvolver as funções de Agentes de Vigilância em Saúde (agentes de endemias); dois Profissionais de Serviço de Saúde para as funções de biólogos, além de 18 Agentes de Atividade de Saúde I para a função de Agentes Comunitário de Saúde.


Multas


Dentro da ação ampliada, a Prefeitura está notificando de forma conjunta, todos os proprietários de terrenos baldios que estão colocando em risco a saúde pública, para que façam a limpeza. Será dado um prazo e, se não for cumprido, o serviço será realizado pelo Município que irá cobrar do proprietário.


Além disso, será aplicada multa e o dono do imóvel perderá benefícios fiscais como descontos no IPTU, por exemplo. Esta decisão é garantida pela Lei Complementar nº. 102, de 2007, que dispõe sobre as medidas específicas para a prevenção, controle e combate à febre amarela e à dengue no Município, e também o Código de Postura do Município.

Jornal Midiamax