Cotidiano

Moradores acionam PMA para capturar macaco em bairro de Campo Grande

Animal pode ter migrado de uma mata que foi derrubada para a construção de residências

Arquivo Publicado em 26/01/2011, às 18h44

None

Animal pode ter migrado de uma mata que foi derrubada para a construção de residências

Um macaco da espécie sagüi chamou a atenção de moradores e de muita criança na região sul de Campo Grande, na tarde desta quarta-feira (26). O pequenino animal silvestre foi flagrado pulando pelos fios de iluminações públicas e muros, segundo populares chegou até receber uma descarga elétrica.

O animal é de cor escura, e segundo a PMA (Polícia Militar Ambiental) que fez o resgate, mede no máximo 18 centímetros de comprimento. Aparentemente o macaquinho estava bem, sem nenhum ferimento, mas foi levado ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), onde passará pela avaliação de um biólogo.

Algumas crianças que se impressionaram ao ver o primata relataram que ele recebeu um choque quando pulou no muro de uma casa que tem cerca elétrica e quando caiu acabou capturado por adolescentes.

Com relação a esta ação, a PMA pede que os moradores não façam contato direto com qualquer que seja o animal e acionem a polícia. No caso do sagüi, ele poderia ter atacado e mordido alguém, visto que esta espécie é arisca.

Conforme os moradores da região, esta não foi a primeira vez que um macaquinho desse aparece na por lá. A suspeita deles é que os animais estejam migrando de uma área próxima que é desmatada para a construção de casas. A PMA explica que realmente é comum a existência desta espécie em matas na zona urbana.

Há um pouco mais de dois meses, uma jibóia de aproximadamente 1,5 metros foi encontrada no quintal de uma casa, na Avenida Mascarenhas de Moraes, em Campo Grande. O réptil foi capturado por militares do Corpo de Bombeiros e levado para o biotério da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco).

Crime

Manter em cativeiro qualquer animal silvestre é crime. De acordo com a PMA, se o bicho estiver na lista de extinção o proprietário pode pagar uma multa que chega até R$ 5 mil, se não, paga R$ 500. Também está previsto detenção de seis meses a um ano, podendo ser cumprida com penas alternativas.

Jornal Midiamax