Cotidiano

Chuva não intimida público e abertura do Festcamp reúne mais de 300 pessoas

Espetáculo A Saga do Sertão da Farinha Podre abriu o festival na tarde deste sábado (15)

Arquivo Publicado em 16/10/2011, às 15h20

None
1652900760.jpg

Espetáculo A Saga do Sertão da Farinha Podre abriu o festival na tarde deste sábado (15)

Apesar da chuva e do tempo nublado, o público não se intimidou em participar da abertura do 5º Festival Nacional de Teatro de Campo Grande (Festcamp) na tarde deste sábado (15).  O primeiro espetáculo do evento foi A Saga do Sertão da Farinha Podre, realizado a céu aberto na Praça do Rádio.


Segundo Anderson Lima, um dos organizadores do festival, cerca de 200 pessoas marcaram presença na abertura. O grupo teatral de Uberlândia (MG) percorreu a praça contando a história de uma boiada guiada por um profeta que desenterra os momentos inscritos no tempo e solo do Sertão da Farinha Podre.


Sem cenário fixo, o público tinha bastante proximidade com os personagens, que caminhavam de um lado para o outro, mudando sempre o ambiente do espetáculo.


Esparrela


Um ator, um tapete, um tambor e uma platéia compuseram o palco do teatro Glauce Rocha na noite deste sábado (15). Esparrela, segundo espetáculo apresentado no Festcamp 2011, conta a relação de um urubu que caiu na armadilha do adestrador Manoel, que tenta ensiná-lo a dançar. Da relação nasce a amizade, que se encerra com a morte de Manoel e a descoberta do urubu de que pode ser livre.


O monólogo, interpretado pelo ator paraibano Fernando Teixeira, levou 150 pessoas ao evento. Foram 40 minutos de peça que não desviou a atenção do público. Teixeira define o espetáculo na balança dos opostos. “Brinco o tempo todo com o riso e a tragédia”, conta o ator, que além de intérprete, é diretor e autor do texto.


Com 69 anos de idade e 50 de carreira, Fernando Teixeira ainda se encanta com a proximidade com o público e fala sobre a dinâmica de levar a platéia para cima do palco. “Eles entram na história, é como se eu estivesse contando uma piada e é muito bom sentir o interesse das pessoas, é meu feedback”, diz.
Esparrela está há três anos com turnê pelo Brasil, com o grupo Bigorna. Para Teixeira, participar de festival é diferente do que apresentar em turnê. “Festival é massa, e é sempre uma esparrela, pois pode agradar o público ou não”.


Programação


A peça Raba da Cabra, do grupo Palhaço Dentinho, abre o segundo dia do Festcamp, às 15h, na Lona do Festival, armada na Praça do Rádio. O espetáculo Esparrela se apresenta novamente à noite, às 20h, no teatro Glauce Rocha. A entrada para ambas as apresentações tem preço promocional de R$ 4.


O Festcamp acontece até o dia 23 de outubro, e conta com aficinas gratuitas e mesa redonda. Os espetáculos serão apresentados no Teatro Glauce Rocha, além de praças, feiras, ruas e espaços alternativos. Ao todo 20 grupos teatrais farão 26 apresentações.

Jornal Midiamax