Brasil

VÍDEO: "Para ser pátria amada não pode ser pátria armada", afirma arcebispo de Aparecida durante sermão

Dom Orlando Brandes ainda lamentou as mortes por Covid-19 e defendeu a ciência

Renata Barros Publicado em 12/10/2021, às 12h08

Missa foi realizada às 9h nesta terça-feira
Missa foi realizada às 9h nesta terça-feira - Foto: Poliana Casemiro/ G1

Durante missa realizada nesta terça-feira (12), o arcebispo de Aparecida (SP) Dom Orlando Brandes fez críticas ao armamento da população e lamentou as mortes por Covid-19. "Para ser pátria amada não pode ser pátria armada", afirmou o arcebispo durante o sermão.

“Para ser pátria amada, uma república sem mentira e sem fake news. Pátria amada sem corrupção. E pátria amada com fraternidade. Todos irmãos construindo a grande família brasileira", completou.

Ao longo do sermão, Brandes também lamentou os mais de 600 mil brasileiros mortos pela Covid-19 e defendeu a vacinação e a ciência. “Mãe Aparecida, muito obrigado porque na pandemia a senhora foi consoladora, conselheira, mestra, companheira e guia do povo brasileiro que hoje te agradece de coração porque vacina sim, ciência sim e Nossa Senhora Aparecida junto salvando o povo brasileiro”, disse.

O arcebispo não citou o nome do presidente da república Jair Bolsonaro e ao ser questionado se o discurso era para o presidente, ele disse ser uma mensagem "para todos os brasileiros". “Respeitamos as autoridades mesmo discordando e falamos com a doutrina da igreja. Nós estamos quebrando a aliança com o ódio e a corrupção e para confirmarmos a nossa República e a democracia”, pontou.

Confira trecho do sermão:

Jornal Midiamax