Brasil

VÍDEO: homem que humilhou motoboy em 2020 é flagrado cometendo racismo novamente

No ano passado, cenas com ofensas ganharam repercussão nacional

Gabriel Maymone Publicado em 10/04/2021, às 12h35

Homem foi flagrado cometendo racismo novamente
Homem foi flagrado cometendo racismo novamente - Reprodução

Depois de protagonizar uma das cenas de racismo que revoltou o país no ano passado ao hostilizar um motoentregador, o contabilista Mateus Abreu Almeida Prado Couto, foi flagrado cometendo o crime novamente. Em vídeo que circula nas redes sociais desde a última sexta-feira (9), ele aparece atacando funcionários de um mercado em Campinas - interior de São Paulo.

O vídeo mostra Mateus na calçada em frente ao estabelecimento, sem máscara, proferindo ofensas racistas. Ele chega a dizer que é nórdico - referindo-se à região da Europa onde predominam pessoas brancas.

O filho dos proprietários do mercado, Diego Brasa, disse ao portal UOL que o homem havia ido até o local na manhã de sexta e se irritado com os funcionários por ter sido impedido de entrar no estabelecimento sem máscara.

“Por estar sem a proteção, o funcionário não deixou que ele entrasse no mercado, nisso ele já ficou bem irritado e fez alguns xingamentos. Depois colocou uma camiseta cobrindo o nariz e a boca, entrou, fez a compra dele e foi embora. Nesse momento ele já estava bastante exaltado”, afirmou.

Assim, por volta das 13h, Mateus voltou ao comércio e, exaltado, proferiu as ofensas. “Ele dizia que atendíamos muitos clientes negros e que nós roubávamos os clientes. Além de fazer menção a questão de ele ser branco. Ele estava muito descontrolado e ficou cerca de 30 minutos em frente ao mercado nos xingando”, acrescentou Diego.

A Guarda Civil Municipal e o Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) foram chamados. Após quase três horas, o agressor aceitou passar por atendimento médico e foi encaminhado pela GCM para o Hospital de Clínicas da Unicamp. De acordo com a GCM, o pai do contabilista foi chamado e acompanhou o filho até a unidade de saúde.

Racismo em 2020

Caso ocorrido em agosto do ano passado, o contabilista humilhou o motoentregador Matheus Pires, em um condomínio de luxo, em Valinhos, interior de São Paulo. As cenas causaram revolta.

O caso ganhou tanta repercussão que o entregador ganhou uma moto 0 km de Luciano Huck.

O morador insulta o entregador, chama ele de lixo, semianalfabeto e o acusa de ter inveja de sua casa e cor da sua pele. Além disso, o “cliente” ainda garante que o motoboy nunca vai ter condições de morar em um condomínio como aquele. Preconceituoso, ele continua dizendo que nasceu rico e que seu nome está na bíblia.

As imagens são revoltantes. Em entrevista ao Luciano Huck, Matheus disse que, minutos antes da gravação, o homem cuspiu e jogou a notinha do restaurante nele. Além disso, ainda menosprezou seu tênis por estar furado.

Segundo o trabalhador, os dois foram parar na Delegacia após Matheus ser chamado de “preto e favelado”, mas o homem ainda teria continuado com os xingamentos na frente do delegado.

“Ele saiu pela mesma porta que eu sai”, lamentou o motoboy.

Jornal Midiamax