Brasil

MP já recebeu 321 denúncias de fura-fila da vacina contra coronavírus

Segundo a ouvidoria Nacional do Ministério Público, que está ligado ao CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), divulgou que até esta sexta-feira (29), já recebeu 321 denúncias de possíveis casos de fura-fila para tomar a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Este canal para denúncias foi aberto na última quarta-feira e até agora […]

Carolina Rocha Publicado em 29/01/2021, às 17h54

(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Segundo a ouvidoria Nacional do Ministério Público, que está ligado ao CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), divulgou que até esta sexta-feira (29), já recebeu 321 denúncias de possíveis casos de fura-fila para tomar a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus.

Este canal para denúncias foi aberto na última quarta-feira e até agora já foram 240 casos reportados pelo Whatsapp, pelo sistema da Ouvidoria, 33 por e-mail, 10 pelo Instagram e 5 pelo Facebook.

O CNMP informou que as denúncias são encaminhadas para unidades do Ministério Público responsáveis por apurar cada caso e a partir de então, tomar as medidas necessárias e cabíveis.

“Infelizmente, temos visto diariamente na mídia diversas denúncias dando conta de pessoas que não fazem parte do grupo prioritário estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização que estariam ‘furando a fila’, sendo vacinadas em diversos locais do país. Essa conduta, além de imoral e antiética, caracteriza crime tipificado no artigo 268 do Código Penal, cuja pena varia de um mês a um ano de detenção”, disse o ouvidor nacional do Ministério Público, Oswaldo D’Albuquerque, em texto publicado no site do CNMP na noite de terça-feira.

Caso você tenha conhecimento de algum caso e tenha interesse em denunciar, o portal está disponível para qualquer pessoa fazer denúncia através do número no Whatsapp (61) 33669229. O e-mail que está recebendo é o [email protected] e ainda é possível realizar a denúncia pelo próprio perfil do CNMP nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter. Há também a possibilidade de preencher um cadastro de um formulário eletrônico na página da Ouvidoria na internet.

Jornal Midiamax