Brasil

Mesmo imunizado com as duas doses da vacina, sambista Nelson Sargento morre por complicações da Covid

Lenda do samba, Sargento foi um dos maiores nomes da Mangueira e autor dos principais enredos da história da escola

João Ramos Publicado em 27/05/2021, às 10h57

Nelson já estava imunizado quando pegou Covid-19
Nelson já estava imunizado quando pegou Covid-19 - (Gabriel Monteiro / Agência O Globo)

Morreu na manhã desta quinta-feira (27) o sambista Nelson Sargento, aos 96 anos, no Rio de Janeiro. A assessoria do artista informou que ele faleceu por volta das 10h45 (horário de Brasília) no Instituto Nacional do Câncer.

Após testar positivo para a Covid-19, Sargento foi transferido para a UTI no último sábado (22) e tinha o quadro de saúde considerado grave.

Internado no INCA desde o dia 20, o cantor e compositor apresentava um quadro de desidratação, anorexia e significativa queda do estado geral, de acordo com o boletim médico divulgado em suas redes sociais.

Sargento recebeu as duas doses da vacina contra a Covid-19 em fevereiro, mas um estudo da Vebra Covid-19 aponta que a efetividade da vacina entre os que têm mais de 80 anos é menor que a eficácia global de 50,7%, encontrada nos estudos do Instituto Butantan.

Além de cantor e compositor, o sambista também era escritor, ator, artista plástico, e presidente de honra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, da qual foi um dos maiores nomes e autor dos principais enredos da história da escola.

Jornal Midiamax