Brasil

Fabio Wajngarten e Ernesto Araújo devem depor semana que vem na CPI

Agência Senado Publicado em 05/05/2021, às 18h15

Ernesto Araújo (à esquerda) e Fabio Wajngarten (à direita)
Ernesto Araújo (à esquerda) e Fabio Wajngarten (à direita) - Montagem: Alan Santos/PR | Anderson Riedel/PR

A CPI da Pandemia aprovou nesta quarta-feira (5) os requerimentos de convocação de dois ex-ministros do governo Bolsonaro. São eles Fabio Wajngarten, ex-secretário especial de Comunicação Social do governo federal, e Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores. O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), já agendou o depoimento de Wajngarten para a próxima terça-feira (11) e o de Araújo para o dia 13.

Outros requerimentos também foram aprovados. Na terça-feira (11), além de Fabio Wajngarten, a CPI ouvirá Marta Dias, atual presidente da Pfizer no Brasil, e Carlos Murilo, que já ocupou esse mesmo cargo.  Na quarta-feira (12), serão ouvidos Nísia Trindade, presidente da Fiocruz, e Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Já na quinta-feira (14), além de Ernesto Araújo, a CPI agendou o depoimento do presidente da União Química, Fernando Marques — a União Química representa a vacina russa Sputnik V no Brasil, que teve sua aplicação negada no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, deve depor nesta quinta-feira (6) na CPI. 

Também foram aprovadas audiências com Marcellus Campêlo, secretário de Saúde do Amazonas; João Paulo Marques dos Santos, que foi secretário-executivo dessa mesma pasta. As datas destes depoimentos ainda serão agendadas pelo presidente Omar Aziz.

Jornal Midiamax