Brasil

Decisão do STF retira foro privilegiado de Carlos Bolsonaro, afirma colunista

O vereador é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por suposto esquema de rachadinhas

Gabriel Neves Publicado em 28/04/2021, às 10h46

Vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro.
Vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro. - (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

Uma decisão do STF (Superior Tribunal Federal) deve afetar o vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, também chamado de filho 02 do presidente Jair Bolsonaro. O Supremo declarou inconstitucionais trechos da Constituição do Estado do Rio que beneficiavam autoridades com o chamado foro privilegiado, entre elas vereadores.

O julgamento ocorreu nesta segunda-feira (28). A decisão afeta Carlos Bolsonaro, que está sendo investigado pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) por suposto esquema de “rachadinhas” em seu gabinete como vereador na Câmara do Rio.

Conforme publicado pelo colunista Ancelmo Gois, no jornal O Globo, o MP do Rio informou que "os procedimentos investigatórios que implicavam atribuição originária do procurador-geral de Justiça (PGJ) foram endereçados às Promotorias de Justiça". São de atribuição do PGJ as investigações que têm como alvos autoridades com direito ao foro privilegiado.

Quanto ao caso de Carlos, o MP destacou que "o caso está sob sigilo, razão pela qual não é possível fornecer qualquer informação".

Jornal Midiamax