Brasil

Com aumento de casos de Covid-19, organizações e alunos pedem adiamento do Enem

Em post feito na internet, a Une (União Nacional dos Estudantes), a Ubes (União Brasileira de Estudantes) e vários jovens estão pedindo pelo adiamento do Enem 2020. Este protesto é por conta do aumento ainda maior dos casos do coronavírus. O movimento alega que a prova causa insegurança sanitária à saúde dos estudantes. No post […]

Carolina Rocha Publicado em 05/01/2021, às 14h37 - Atualizado às 15h04

 (Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil)
(Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil) - (Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil)

Em post feito na internet, a Une (União Nacional dos Estudantes), a Ubes (União Brasileira de Estudantes) e vários jovens estão pedindo pelo adiamento do Enem 2020. Este protesto é por conta do aumento ainda maior dos casos do coronavírus. O movimento alega que a prova causa insegurança sanitária à saúde dos estudantes.

No post feio pela UNE, a organização conta que junto da UBES, entraram com uma manifestação na audiência de Ação Civil Pública para o INEP prestar explicações sobre o (Enem) Exame Nacional do Ensino Médio. A medida foi tomada em dezembro de 2020, para tirar dúvidas sobre data, medidas de segurança, desigualdade social e falta de conectividade foram os maiores destaques no documento enviado.

Em um segundo post, a UNE explica que com a retomada do aumento de casos do coronavírus, a saúde dos jovens que prestarão exame e dos seus familiares será ameaçada. Segundo a organização, as medidas de biossegurança apresentada pelo INEP e MEC para a aplicação das provas são vagas e indefinidas.

Já a Ubes explicou que o Enem precisar ser adiado, pois vários estudantes não tiveram acesso à internet para estudar, a desigualdade aumento, não temos vacina do corona e os casos voltaram a aumentar. Também protestou dizendo “O MEC nunca ouviu os estudantes e por isso estamos nessa situação.”

Nos próprios posts de ambas organizações, as opiniões entre os estudantes se dividem entre aqueles que estão exaustos e não querem o adiamento. Mas também tem quem entende que a pandemia trouxe ainda mais desigualdade e muitos alunos não tiveram a oportunidade de estudar como poderiam em anos normais.

Jornal Midiamax