Brasil

Bolsonaro diz que vacina aprovada pela Anvisa não tem comprovação científica

Ao contrário do que a Anvisa  diz, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta sexta-feira (22), que a vacina que está sendo aplicada no Brasil não tem comprovação científica. Até o momento, esta é a única vacina em uso o emergencial no país. Esta liberação contraria a fala presidencial, uma vez que significa que a […]

Carolina Rocha Publicado em 22/01/2021, às 13h32

Presidente, Jair Bolsonaro. (Foto: Reprodução/Gabriela Biló)
Presidente, Jair Bolsonaro. (Foto: Reprodução/Gabriela Biló) - Presidente, Jair Bolsonaro. (Foto: Reprodução/Gabriela Biló)

Ao contrário do que a Anvisa  diz, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta sexta-feira (22), que a vacina que está sendo aplicada no Brasil não tem comprovação científica. Até o momento, esta é a única vacina em uso o emergencial no país. Esta liberação contraria a fala presidencial, uma vez que significa que a vacina tem a eficácia e segurança necessária para ser aplicada na população.

Em contrapartida com esta fala do presidente, a eficácia da CoronaVac foi comprovada em ensaios clínicos conduzidos no Brasil. O imunizante está sendo fabricado pelo Instituto Butantan, em São Paulo, que é uma instituição pública de pesquisa ligada ao governo do estado.

Esta declaração feita por Bolsonaro foi feita a jornalistas na saída do Palácio da Alvorada. “Eu não posso obrigar ninguém a tomar vacina, como um governador um tempo atrás falou que ia obrigar. Eu não sou inconsequente a esse ponto. Ela tem que ser voluntária, afinal de contas, não está nada comprovado cientificamente com essa vacina aí”, afirmou o presidente.

“O pessoal dizia que eu era contra a vacina. Eu era contra a vacina sem passar pela Anvisa. Passou pela Anvisa, eu não tenho mais o que discutir, eu tenho que distribuir a vacina”, completou Bolsonaro.

A Anvisa já liberou o uso emergencial de duas vacinas, a CoronaVac e a da universidade de Oxford, por unanimidade na diretoria da agência. Para que essas vacinas tenham sido liberadas, todos os critérios de qualidade e segurança para uso emergencial foram cumpridos.

Jornal Midiamax