Brasil

Tereza Cristina vai a Portugal para defender tratado Mercosul-União Europeia

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, foi a Portugal, nesta segunda-feira (12), para se encontrar com o governo do país e defender o tratado Mercosul-União Europeia. Tereza Cristina se encontrou com a ministra da Agricultura de Portugal, Maria do Céu Antunes, que também defende a rápida consolidação do acordo. “Continuamos empenhados para […]

Gabriel Neves Publicado em 12/10/2020, às 15h45

Ministras Tereza Cristina e Maria do Céu Antunes, em Lisboa. (Foto: Divulgação)
Ministras Tereza Cristina e Maria do Céu Antunes, em Lisboa. (Foto: Divulgação) - Ministras Tereza Cristina e Maria do Céu Antunes, em Lisboa. (Foto: Divulgação)

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, foi a Portugal, nesta segunda-feira (12), para se encontrar com o governo do país e defender o tratado Mercosul-União Europeia.

Tereza Cristina se encontrou com a ministra da Agricultura de Portugal, Maria do Céu Antunes, que também defende a rápida consolidação do acordo. “Continuamos empenhados para que rapidamente este acordo possa ser posto em prática”, afirmou.

No encontrou, Tereza Cristina afirmou que o acordo proverá ganhos para os dois blocos, tanto na área econômica, como em questões ambientais. “É preciso dizer que o acordo não representa qualquer ameaça ao meio ambiente, à saúde humana e aos direitos sociais. Ao contrário, reforça compromissos multilaterais e agrega as melhores práticas na matéria”, disse.

Maria do Céu Antunes seguiu os argumentos da ministra brasileira e reformou que o acordo permitirá o desenvolvimento sustentável os dois blocos, “permitirá ainda, e para nós isso é muito importante, um compromisso de todas as partes com os objetivos de desenvolvimento sustentável a proteção do meio ambiente e da biodiversidade e no respeito pelos direitos laborais e sociais”.

Tereza Cristina disse contar com apoio de Portugal para o acordo avançar. “Contamos com o apoio do povo português para que nosso acordo entre em vigor no menor prazo possível”.

O secretário de Estado da Internacionalização de Portugal, Eurico Brilhante Dias, também se manifestou em favor da rápida aprovação do acordo entre os dois blocos.

“Portugal sempre se destacou na defesa deste acordo, porque acreditamos na ideia de que o comércio internacional é positivo, é bom, constrói pontes, é um indutor de criação de riqueza e que, como diria o nosso poeta Fernando Pessoa, quem quer a paz, faz o comércio”, disse Dias.

Jornal Midiamax