Brasil

Sérgio Cabral é condenado a mais 11 anos e pena ultrapassa 294 anos de prisão

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi condenado nesta terça-feira (25) a mais 11 anos e 10 meses de prisão na nas investigações da Operação C’est Fini, desdobramentos da Lava Jato. Esta é a 14ª condenação de Cabral e a pena já soma 294 anos. Além dele, o ex-secretário de governo Wilson Carlos, […]

Danielle Errobidarte Publicado em 25/08/2020, às 17h21

Penas somam 294 anos de prisão. (Foto: Reprodução/ Theo Marques - Agência O Globo)
Penas somam 294 anos de prisão. (Foto: Reprodução/ Theo Marques - Agência O Globo) - Penas somam 294 anos de prisão. (Foto: Reprodução/ Theo Marques - Agência O Globo)

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi condenado nesta terça-feira (25) a mais 11 anos e 10 meses de prisão na nas investigações da Operação C’est Fini, desdobramentos da Lava Jato. Esta é a 14ª condenação de Cabral e a pena já soma 294 anos. Além dele, o ex-secretário de governo Wilson Carlos, o empresário George Sadala e o operador financeiro Luiz Carlos Bezerra também foram condenados.

Segundo a sentença, Cabral “cobrava” 5% do valor dos contratos como propina entre as empresas e o estado do Rio de Janeiro. De Sadala, ele recebeu R$ 1.331.000 e, em troca, o empresário venceu licitação referentes às unidades do Rio Poupa Tempo.

O juiz responsável pela sentença, Marcelo Bretas, condenou a prática do ex-governador como “altamente reprovável” e afirmou que Cabral “tinha conhecimento da natureza criminosa de suas práticas e se revelou uma pessoa gananciosa”.

O juiz condenou Wilson Carlos a 14 anos e cinco meses de prisão; Luiz Carlos Bezerra, a 7 anos e um mês de prisão, e George Sadala, a 15 anos e nove meses de reclusão. À exceção de Cabral, os outros três poderão recorrer em liberdade. Ambos, além de Cabral, foram condenados por corrupção passiva. À exceção do ex-governador, os outros dois poderão recorrer em liberdade.

(Com informações do O Globo e Agência Brasil)

Jornal Midiamax