Brasil

Operação no Rio busca mais de 100 procurados e fugitivos que integram facção carioca

Uma operação iniciada pela Polícia Civil do RJ, nesta terça-feira (27), tenta capturar integrantes do Comando Vermelho que foragidos da Justiça no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio. Até o momento, segundo publicado no portal G1, quatro homens haviam sido presos, e um quinto, ferido ao tentar pular uma laje, foi encaminhado para […]

Gabriel Neves Publicado em 27/10/2020, às 07h39

Blindados deixam a Cidade da Polícia. (Foto: Reprodução/TV Globo)
Blindados deixam a Cidade da Polícia. (Foto: Reprodução/TV Globo) - Blindados deixam a Cidade da Polícia. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma operação iniciada pela Polícia Civil do RJ, nesta terça-feira (27), tenta capturar integrantes do Comando Vermelho que foragidos da Justiça no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio.

Até o momento, segundo publicado no portal G1, quatro homens haviam sido presos, e um quinto, ferido ao tentar pular uma laje, foi encaminhado para um hospital. Drogas também foram apreendidas.

A operação iniciou por volta das 5h, com o objetivo de evitar confrontos no horário de saída dos trabalhadores, mobilizando 300 agentes, cinco blindados e um helicóptero.

Todo o efetivo, dividido entre cinco delegacias, mapeou que mais de 100 procurados estão escondidos em favelas da região, como o Parque União e a Nova Holanda.

Entre os alvos nesta terça estavam os homens acusados de causar a morte do menino Leônidas Augusto da Silva de Oliveira, de 12 anos.

Além de ter como alvo, lideranças do Comando Vermelho na Maré, como Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, chefe do Parque União, é procurado desde 2006 e tem oito mandados de prisão.

Rodrigo da Silva Caetano, o Motoboy, chefe da Nova Holanda, com nove mandados de prisão, também está entre os alvos. Segundo as investigações, Motoboy fica com 50% do valor de grandes assaltos.

Além disso, a força-tarefa tenta localizar os homens que assaltaram, em junho, um depósito do Grupo Pão de Açúcar em Duque de Caxias. Dois vigilantes foram mortos no ataque.

Jornal Midiamax