Brasil

Governo recua e propõe orçamento da Educação superior ao da Defesa em 2021

Após insinuar que a Defesa poderia ter um orçamento maior que a Educação em 2021, o governo federal recuou e manteve, no PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual), a previsão de gastos maiores com a Educação no próximo ano. O projeto foi encaminhado ao Congresso nesta segunda-feira (31). De acordo com a proposta serão destinados […]

Gabriel Neves Publicado em 31/08/2020, às 17h26

Prédio do Ministério da Educação. (Foto: reprodução/Geraldo Magela/Agência Senado)
Prédio do Ministério da Educação. (Foto: reprodução/Geraldo Magela/Agência Senado) - Prédio do Ministério da Educação. (Foto: reprodução/Geraldo Magela/Agência Senado)

Após insinuar que a Defesa poderia ter um orçamento maior que a Educação em 2021, o governo federal recuou e manteve, no PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual), a previsão de gastos maiores com a Educação no próximo ano.

O projeto foi encaminhado ao Congresso nesta segunda-feira (31). De acordo com a proposta serão destinados R$ 144,538 bilhões à Educação, e R$ 116,127 bilhões à Defesa em 2021.

Os dois valores propostos para o ano seguintes são maiores que os de 2020, segundo publicado no Portal G1. Durante a elaboração do texto, o governo estudou um orçamento maior para a defesa, gerando diversas críticas entre especialistas.

A proposta divulgada pelo Ministério da Economia, hoje (31), mostra um aumento de R$ 1,178 bilhão para o setor de defesa e de R$ 1,702 bilhão para a educação pública.

Apesar disso, se forem levadas em consideração apenas as despesas discricionárias, ou não obrigatórias, o orçamento do Ministério da Defesa terá alta de R$ 928 milhões em 2021, e o do Ministério da Educação, de R$ 276 milhões.

Jornal Midiamax