Brasil

Governador do AM diz que manifestações geraram mais danos do que comércio aberto

O governador do Amazonas, Wilson Lima, afirmou que as manifestações contra o fechamento do comércio foram mais prejudicais do que o comércio aberto. Diversos protestos, barricadas de fogo e bloqueio do transito ocorreram no estado após o anuncio do fechamento do comércio por 15 dias, determinação que tinha como objetivo frear o avenço do coronavírus […]

Gabriel Neves Publicado em 27/12/2020, às 18h35

Pessoas reunidas no centro de Manaus durante protesto. (Foto: Reprodução/iG)
Pessoas reunidas no centro de Manaus durante protesto. (Foto: Reprodução/iG) - Pessoas reunidas no centro de Manaus durante protesto. (Foto: Reprodução/iG)

O governador do Amazonas, Wilson Lima, afirmou que as manifestações contra o fechamento do comércio foram mais prejudicais do que o comércio aberto.

Diversos protestos, barricadas de fogo e bloqueio do transito ocorreram no estado após o anuncio do fechamento do comércio por 15 dias, determinação que tinha como objetivo frear o avenço do coronavírus no Amazonas.

O trânsito no entorno da casa do governador chegou a ser isolado pela polícia por conta de ameaças de manifestantes, segundo publicado no porta G1.

“A gente percebeu que houve um efeito muito mais complicado, muito mais drástico do que se a gente não tivesse tomado essas medidas”, declarou Wilson Lima.

Após as manifestações, o governo se reuniu com representantes da categoria e decidiu voltar atrás e autorizar a abertura das atividades econômicas, com restrições, a partir desta segunda (28).

Jornal Midiamax