Brasil

Em fase verde, São Paulo reabrirá cinemas, teatros e museus

Seis regiões de São Paulo alcançará a fase verde relacionado à pandemia do novo coronavírus, conforme anunciado pelo governador João Doria (PSDB), nesta sexta-feira (9), durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. A partir deste sábado (10), a Grande São Paulo e as regiões de Taubaté, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e toda a Baixada Santista também […]

Renata Fontoura Publicado em 09/10/2020, às 13h46 - Atualizado às 13h46

Catavento Cultural e Educacional, localizado na capital paulista - Foto: Catalivre
Catavento Cultural e Educacional, localizado na capital paulista - Foto: Catalivre - Catavento Cultural e Educacional, localizado na capital paulista - Foto: Catalivre

Seis regiões de São Paulo alcançará a fase verde relacionado à pandemia do novo coronavírus, conforme anunciado pelo governador João Doria (PSDB), nesta sexta-feira (9), durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

A partir deste sábado (10), a Grande São Paulo e as regiões de Taubaté, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e toda a Baixada Santista também passaram ao estágio menos restritivo de flexibilização. Já Barretos, na contramão da maioria, estava na fase amarela e foi a única a regredir: voltou ao laranja.

O anúncio era muito esperado, principalmente, pela área cultural da cidade, pois a notícia permite que a prefeitura dê o aval para a reabertura de museus, cinemas e teatros.

Eventos, convenções e atividades culturais requerem da região pelo menos 28 dias na fase verde. Os locais precisam respeitar a lotação máximo de 60% da capacidade, controlar acesso, demarcar filas, entre outras medidas.

Qualquer outro evento ou atividade que acarreta aglomeração, ou que não se encaixe nas especificações do Plano, continuam proibidas e sem previsão para retomada.

Desde o dia 29 de junho, São Paulo estava na fase amarela do plano. O Governo do Estado chegou a recomendar a reabertura gradual no setor cultural no final de julho, mas o prefeito Bruno Covas (PSDB) acabou a sugestão da gestão Doria.

Jornal Midiamax