Brasil

Ao lado de Mujica, Lula provoca Huck e foca discurso em precarização do trabalho

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar, na noite deste sábado, a possível candidatura do apresentador Luciano Huck à Presidência da República. Ao lado do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica, na festa de 40 anos do PT no Rio de Janeiro, Lula falou que “a Globo, depois de lançar o Bolsonaro, agora vai […]

Agência Estado Publicado em 08/02/2020, às 21h05

None
Defesa de Lula aposta em perseguição de Moro em condenação do ex-presidente na Operação Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar, na noite deste sábado, a possível candidatura do apresentador Luciano Huck à Presidência da República. Ao lado do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica, na festa de 40 anos do PT no Rio de Janeiro, Lula falou que “a Globo, depois de lançar o Bolsonaro, agora vai lançar o Caldeirão do Huck”.

Pesquisas mostram que o apresentador, que deve se filiar ao Cidadania caso decida ser candidato, pode tirar votos do PT. Com base nisso, Lula passou a investir num discurso focado em aspectos da Economia, como a precarização do trabalho. No discurso desta noite, criticou a naturalização de empregos como o de entregador de aplicativo, nos quais o trabalhador não tem vínculo empregatício com a empresa nem garantias trabalhistas.

“Você não sabe quem é seu patrão, não tem assistência médica. É o ser humano sendo tratado da forma mais canalha possível em nome de uma palavra chamada ‘flexibilização’ e de uma palavra chamada ‘empreendedorismo’”, disse o ex-presidente. “Eu peço pizza no iFood. O serviço é maravilhoso para o consumidor, mas eu quero saber a contrapartida. Esse é o desafio que precisamos cobrar do Estado.”

Conhecido pela defesa de que políticos tenham uma vida austera, Mujica voltou a criticar, ao lado de Lula, aqueles que enriquecem na vida pública. “Política é uma paixão, um compromisso, e políticos têm que aprender a viver como vive a maioria do povo, não como uma minoria privilegiada”, apontou o uruguaio, cujo partido, a Frente Ampla, deixa o poder no fim deste mês após 15 anos de presidência.

Em um momento constrangedor, após a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) anunciar a presença da “ex-primeira dama” do Uruguai, Mujica reclamou da abordagem. “Somos republicanos. Não temos primeira-dama.” Lucía Topolansky é vice-presidente na gestão Tabaré Vázquez.

Mujica também ressaltou bandeiras comuns em seus discursos, como a necessidade de os jovens buscarem a felicidade e se engajarem na política por paixão, não por ambição financeira ou de poder.

O espaço principal da Fundição, tradicional casa de shows do Rio, tem capacidade para 5 mil pessoas e estava lotado. Antes de Lula e Mujica subirem no palco, uma espécie de ópera petista intercalava trechos da história do PT com apresentações musicais

Além do debate entre Lula e Mujica, a festa de 40 anos do PT contou com outras discussões ao longo do dia. Em uma delas, cinco partidos de esquerda (PDT, PSB, PSOL E PCdoB, além do protagonista do evento) falaram sobre a necessidade de união da esquerda num contexto de governo Bolsonaro. Em outra mesa, o ex-prefeito e ex-presidenciável Fernando Haddad chamou Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, de “parasitas”, rebatendo fala de Guedes nesta sexta-feira em que criticou os servidores públicos.

Jornal Midiamax