Brasil

Rodrigo Maia diz que Congresso não vai aprovar alta de impostos para suprir desconto no diesel

O presidente da Câmara ainda afirma que fala de ministro da fazenda foi irresponsável

Tábata Rauschkolb Publicado em 29/05/2018, às 10h06

None

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), afirmou nessa nesta terça-feira (29) que não há possibilidade do Congresso aprovar o aumento de impostos para suprir a redução no preço do óleo diesel. Ele ainda disse que fala do ministro da fazenda Eduardo Guardia, nessa segunda-feira (28) foi “irresponsável”.

Na segunda-feira (28), em entrevista coletiva, o ministro da fazenda afirmou que para suprir o desconto do óleo diesel poderia haver um aumento nos impostos, gerando assim uma compensação para a redução da arrecadação.

Para encerrar a greve dos caminhoneiros, o Governo Federal anunciou um desconto de R$ 0,46 no litro do óleo diesel por dois meses.

Segundo informações do Portal G1 Rodrigo Maia foi contra a alta tributária e fez críticas ao ministro, afirmando inclusive que Guardia deveria ter proposto outras alternativas para a solucionar o problema.

“Não vai ter (aumento de tributos) porque isso aqui é uma democracia e ele (Eduardo Guardia) não manda no Congresso Nacional. Aliás, o que ele fez ontem foi muito irresponsável, num momento de crise em que se está tentando debelar, diminuir a mobilização, tentar colocar o Brasil no eixo novamente, ele vem falar em aumento de imposto”, afirmou Maia segundo o G1.

O presidente da Câmara, que é pré-candidato à Presidência da República ainda defendeu a redução do Estado como alternativa para a compensação.

“De jeito nenhum (a Câmara vai aprovar alta de impostos). Não tem a menor chance. Enquanto eu for presidente da Câmara não se vai votar nenhum aumento de imposto. Os brasileiros pagam impostos demais, ninguém aguenta pagar mais imposto. Vamos discutir a redução do tamanho do Estado”, disse Maia.

Jornal Midiamax