Brasil

Líder supremacista dos EUA elogia Bolsonaro em programa de rádio e na internet

O historiador norte-americano David Duke, ex-líder da Ku Klux Klan (KKK) nos Estados Unidos, elogiou em seu programa de rádio o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). “Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista”, disse o ex-líder da KKK sobre Bolsonaro. De acordo com o portal BBC, Duke ainda ressaltou em […]

Tábata Rauschkolb Publicado em 16/10/2018, às 11h50

Duke ressaltou em sua fala que Bolsonaro é descendente de europeus, branco (Foto:Reprodução/Facebook)
Duke ressaltou em sua fala que Bolsonaro é descendente de europeus, branco (Foto:Reprodução/Facebook) - Duke ressaltou em sua fala que Bolsonaro é descendente de europeus, branco (Foto:Reprodução/Facebook)

O historiador norte-americano David Duke, ex-líder da Ku Klux Klan (KKK) nos Estados Unidos, elogiou em seu programa de rádio o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

“Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista”, disse o ex-líder da KKK sobre Bolsonaro.

De acordo com o portal BBC, Duke ainda ressaltou em sua fala que o candidato é descendente de europeus, branco.

“Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro”, afirmou Duke.

O historiador, é conhecido por defender temas como a supremacia branca, negar o Holocausto e inclusive por classificar Nelson Mandela, prêmio Nobel da Paz sul-africano, como um “terrorista”.

Segundo a BBC, Duke foi um dos organizadores da marcha da supremacia branca em Charlottesville, no ano passado. Na ocasião, os manifestantes foram às ruas em um protesto de repercussão mundial, entre as pautas havia inclusive a defesa de grupos neonazistas, com uso de bandeiras e suásticas.

A Ku Klux Klan é recorrente na história dos Estados Unidos desde o século 19, o grupo defende a superioridade de descendentes europeus sobre outros indivíduos e foi responsável por inúmeros atos de terrorismo e linchamentos em comunidades negras nos EUA.

Em seu perfil no Twitter, Duke também compartilhou uma publicação defendendo o candidato brasileiro.

Líder supremacista dos EUA elogia Bolsonaro em programa de rádio e na internet

“Bolsonaro pronto para conquistar a presidência do Brasil em 28 de outubro! Deve observar!”, afirma a publicação compartilhada por Duke.

Jornal Midiamax