Brasil

Fortaleza lamenta chacina e especialistas pedem medidas para área de segurança

Houve um total de 14 mortes

Daiane Libero Publicado em 27/01/2018, às 22h56

None

Houve um total de 14 mortes

A chuva deste sábado (27) poderia ser recebida de bom grado em Fortaleza, dada a estiagem que há anos castiga o Ceará. Mas as águas assumiram outro significado. “Fortaleza chora de tristeza hoje”. A frase, replicada nas redes sociais, sintetiza o sentimento dos que  veem pessoas serem assassinadas constantemente na capital cearense. O rito, de tão comum, ganha ares de rotina. Apenas neste mês, 200 homicídios já foram registrados no estado, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social.

Fortaleza lamenta chacina e especialistas pedem medidas para área de segurança

Pelas redes sociais, o governador Camilo Santana referiu-se à chacina como “ato selvagem e inaceitável”. No texto, ele afirma que convocou imediatamente o secretário de Segurança, André Costa, e a cúpula da Secretaria de Segurança, e determinou “rigor absoluto nas investigações e busca incessante dos criminosos, para que todos os envolvidos sejam identificados e presos o mais rápido possível. Não aceitaremos de forma alguma que esse tipo barbárie fique impune. Confio na nossa polícia e tenho absoluta convicção de que uma resposta será dada muito em breve”.

Até agora, uma pessoa envolvida na chacina do bairro Cajazeiras foi presa, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social. Outras pessoas já foram identificadas. A polícia trabalha para deter suspeitos, auxiliada por outros órgãos públicos.

Jornal Midiamax